Inicial

Numa cidadezinha do interior, um sujeito andava tranquilo pela rua. De repente, ele viu uma galinha e começou desesperadamente a correr, apavorado gritando socorro. Seus familiares estavam sem saber o que fazer, pois era uma coisa muito rara e absurda. Levaram o sujeito para um psiquiatra.

- Me diga, qual é o seu problema?

- Doutor, sou uma ervilha e se não me cuido posso ser devorado por uma galinha.

- Ah, sim, é claro. Mas veja bem, o senhor tem duas mãos, não é verdade?

- Sim, mas e dai?

- O senhor já viu uma ervilha com braços?

- Não...

- Duas pernas, como essa que o senhor usa para fugir das galinhas?

- Não... puxa, nunca pensei nisso...

- Veja outra coisa, uma ervilha nunca estaria aqui falando comigo!

- Puxa, doutor! O senhor mudou minha vida! Eu nunca tinha pensado nisso antes! Agora eu sei que não posso ser uma ervilha, é uma coisa absurda, impossível! E lá se foi nosso amigo, todo feliz com sua identidade re-descoberta.

Tranquilo, andando pela rua, ele olha outra galinha e sai correndo apavorado de novo... dessa vez um carro o atropela. Foi para o hospital todo arrebentado e entre as visitas medicas naturalmente chamaram o psiquiatra:

- Mas o que aconteceu? Você não me disse que agora você sabe de não ser uma ervilha?

- Saber eu sei, mas o senhor acha que a galinha já está sabendo?

50
25
25