Os Vigaristas

Início

Cavalo no Bar

Um cavalo entra num bar e pede uma cerveja. O barman fica em choque, um cavalo de verdade entrou em seu bar, sentou-se no bar como uma pessoa, e pediu uma cerveja em português perfeito.

Ele avisa para o cavalo:

- Sinto muito senhor, mas eu tenho que ir falar antes com meu gerente por um momento.

Então o barman vai para a parte de trás e explica a situação ao seu gerente. O gerente pensa por um momento e depois diz ao barman:

- Bem, este é um bar, então vá em frente e sirva esse cavalo uma cerveja. Entretanto, considerando que ele é um cavalo, ele provavelmente não sabe qual o preço de uma cerveja, então vá em frente e cobre 30 reais.

O barman se vira e vai para o balcão onde o cavalo ainda está sentado, visivelmente assistindo futebol na TV. O barman pergunta ao cavalo:

- Ok, o que o senhor vai querer?

O cavalo se vira e diz:

- Me dê uma Heineken.

O barman coloca a cerveja no copo e então lentamente desliza pelo balcão a conta de R$30,00. O cavalo pega a conta com seus cascos, passivamente olha para ela, puxa seu cartão de crédito, lentamente o desliza de volta, e depois com calma volta a assistir ao jogo enquanto bebe sua cerveja. O barman ainda está meio confuso com toda a situação e fica curioso sobre o cavalo, mas ele não quer correr o risco de ofender um cavalo de quase 500 kg por fazer as perguntas erradas. Assim, ele opta por apenas puxar assunto:

- Você sabe, nós realmente não temos muitos cavalos vindo aqui.

O cavalo lentamente, impassível se vira para o barman e responde:

- Você sabe, com preços como estes eu não estou surpreso.

Joãozinho e o Pai Malandro

Joãozinho chega em casa com uma carteira e diz:

- Pai, achei essa carteira com dinheiro dentro, mas tem o nome do dono nela. Eu devolvo para o dono ou gasto o dinheiro?

O pai diz:

- Devolve nada, pode gastar tudo, é seu. O dono que se dane.

Joãozinho, seguindo a dica do pai, gasta tudo. Algumas horas depois, o pai curioso pergunta:

- Você disse que aquela carteira tinha o nome do dono nela, afinal de contas de quem ela era?

Joãozinho responde:

- Sua.