A Morte do Senador

114
98
16

Logo que morre, um famoso senador brasileiro chega ao paraíso e é recepcionado por São Pedro que estranha o fato e lhe diz:

— Bem, como raramente vemos parlamentares por aqui, não sabemos bem o que fazer com você.

— Não vejo problema, é só me deixar entrar — diz o antigo senador.

— Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores. Vamos fazer o seguinte: você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Aí, pode escolher onde quer passar a eternidade.

Assim, São Pedro o acompanha até o elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno.

A porta se abre e ele se vê no meio de um lindo campo de golfe onde seus amigos e outros políticos com os quais havia trabalhado, todos muito felizes e em traje social o cumprimentam calorosamente.

Jogam uma partida descontraída e depois comem lagosta e caviar falando sobre os bons tempos em que ficaram ricos a custa do povo.

Quem também está presente é o diabo, um cara muito amigável que passa o tempo todo dançando e contando piadas. No final do dia, nosso nobre parlamentar sobe para conhecer o Paraíso.

Depois de passar 24 horas junto a um grupo de almas contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando, São Pedro retorna:

— E então, qual lugar você escolheu para sua morada eterna?

Depois de pensar por alguns segundos, o político responde, decidido:

— Olha, o Paraíso é muito bom, mas eu acho que vou ficar melhor no Inferno.

São Pedro então o leva de volta ao elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno.

A porta abre e ele se vê no meio de um enorme terreno baldio cheio de lixo.

Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas e sujas catando o entulho e colocando em sacos pretos.

O diabo vai ao seu encontro e passa o braço pelo ombro do senador.

— Não estou entendendo... — gagueja o senador — Ontem mesmo eu estive aqui e havia um campo de golfe, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados !

Diabo olha pra ele, sorri ironicamente e diz:

— Ontem estávamos em campanha. Agora, já conseguimos o seu voto...