Piadas de Amigos

O homem queria conquistar uma menina, filha de um fazendeiro dono de várias terras. Para ajudar, ele chamou o seu amigo português.

Chegando na casa do fazendeiro, o homem pediu ao português que aumentasse tudo o que ele falasse. Quando entrou na casa do fazendeiro, o homem já recebe uma pergunta:

— Então, você mora aonde?

— Eu moro em uma chacrinha bem pequena.

E o português falou:

— Chacrinha?Aquilo é terra que não se acaba mais!

— E você cria bois lá?

— Crio alguns, bem magrinhos.

— Alguns? Bem magrinhos? Aquilo é um monte de boi gordo, raio! — exclamou o português.

O homem tem uma crise de tosse bem na hora da conversa, e o fazendeiro pergunta:

— Você está gripado?

— É... é só um resfriado.

— Resfriado? Isso aí é uma tuberculose...

45
26
19

Um sujeito vai para a casa da namorada para uma transa. Na hora H, o aparelho não responde. Preocupado, ele pede um tempo e vai ao banheiro. Na meia luz, procura algo que o ajude a resolver o problema. Encontra uma pequena caixinha de pomada, passa no negócio e maravilha! No mesmo instante volta o vigor juvenil. Retorna pra cama e faz um amor que deixa a amiga extasiada.

Depois, volta ao banheiro, acende a luz e, de curioso, vai ver que tipo de pomada usou. Como demora a voltar, a amiga vai atrás dele e o encontra desmaiado com a caixinha na mão. Cujo rótulo diz o seguinte:

"Pomada para calos. Cresce, endurece, seca e cai."

34
27
7

João saiu para beber com os amigos. Depois de entornar todas achou que estava com tesão, mas marido fiel, voltou para casa. Lá chegando encontra a Margarida mergulhada em sono profundo, dormindo com a boca aberta. Ele pega duas aspirinas, e as coloca gentilmente na boca da mulher, que acorda engasgada, e pergunta:

— O que foi que você colocou na minha boca?

— Duas aspirinas, responde ele.

Ela aos berros:

— Eu não estou com dor de cabeça!

E ele feliz:

— Era isso que eu queria escutar!

37
32
5

O pai estava bebendo cerveja, comendo amendoim e vendo TV na sala, vigiando a filhinha que namorava na varanda. Sono chegando, cerveja fazendo efeito, ouvido começa a coçar e o babaca começa cutucar o ouvido com um amendoim até que a casca do amendoim quebra e o caroço de amendoim entala no ouvido.

Ele fica desesperado, começa a tentar tirar o amendoim com o dedo e empurra mais prá dentro. Pega uma tampinha de caneta Bic e merda, o amendoim entrou mais ainda. Nisso o sujeito já estava louco, gritando, chamando a mulher, que veio correndo, que apavorou e já queria levar o maridão bêbado para o hospital, mas ele não queria.

— Sou um cara de posição, não posso me expor ao ridículo, etc...

A filha e o namorado entram na sala pra ver o que estava acontecendo.

— Pai, que é isso! Que vergonha!

O namorado da filha diz:

— Calma, que eu dou um jeito! Quando era escoteiro, era eu que socorria os amigos!

O entalado, que estava sem graça, apavorado, e agora puto com aquele sujeitinho dando palpite, acabou aceitando ajuda.

O sujeitinho mete dois dedos no nariz do sogrão, e diz:

— Fecha a boca e sopra pelo nariz com bastante força!

E não é que o maldito amendoim saiu do ouvido? O namoradinho sai todo convencido, a filha toda apaixonada, e a mulher encantada com o eficientíssimo rapaz, diz pro maridão:

— Viu que gracinha? Tão calmo, tão controlado nas emergências. O que será que ele vai ser?

E o maridão responde:

— Pelo cheiro dos dedos dele, vai ser ginecologista!

77
57
20

O rapaz, depois de muito tempo encontra um velho amigo japonês:

— Oh, seu Tanaka! São muito lindos os seus filhos. São todos japoneses?

— Non! A mais velho nasceu no Japão. A do meio nasceu na Brasil.

— E o menorzinho com cara de mestiço?

— Esse de provetaaaa!

— Nossa. parabéns! Um filho de proveta é uma bela contribuição a ciência!

— Noonnnn! Contribuição nonnnnn! Tanaka exprica: Quando Tanaka viaja, muié meu fica sozinha, aí negon provetaaaaaa!

69
29
40

Ainda novo, um rabino falece tragicamente em um acidente. Como ele vivia em uma comunidade pequena, todos se conhecem e, depois de algum tempo, acabam aconselhando à jovem esposa para que ela volte a se casar.

Na comunidade havia somente um candidato disponível e era um mecânico, simpático mas de pouca educação formal. Embora relutasse muito no início, pois era habituada a viver com uma pessoa erudita, a viúva finalmente aceita. Após o casamento, na sexta-feira, véspera de Shabat, após o banho ritual no mikve, o mecânico fala para sua nova esposa:

— Minha mãe sempre falou que era uma boa ação praticar sexo antes de ir para a sinagoga.

E foi dito e feito.

Voltando da sinagoga ele fala:

— Segundo meu pai, é uma santa obrigação fazer sexo antes de acender as velas de Shabat.

Foi dito e feito, de novo.

Pouco antes de irem dormir, o mecânico volta:

— Meu avô sempre disse que é costume fazer sexo no Shabat.

E mais uma vez fazem sexo.

Amanhecendo o dia seguinte ele diz:

— Minha tia Sara, muito religiosa, me disse certa vez que um bom judeu não começa a manhã de Shabat sem ter sexo.

E novamente fazem sexo.

A viúva, já no domingo, sai para fazer compras. No mercado encontra com várias amigas, que perguntam:

— E aí? Que tal é o novo marido?

— Bom. — responde ela — ele não é letrado como o falecido rabino, mas vem de uma família maaaaaaaa-raaaaaa-vilhooooosa!

41
14
27

Duas viúvas estão no cemitério, uma estava chorando muito e quando olhou paro o lado reparou que a outra estava mijando em cima da cova do falecido. Incrédula com a situação pergunta:

— Por que você esta mijando na cova do seu falecido marido?

— Oh, minha amiga, cada uma chora por onde sente mais falta.

172
113
59

Dois caçadores estão no bosque quando um deles desmaia. Não parece estar respirando e seus olhos estão vidrados. O outro homem pega o telefone e chama o serviço de emergências. Quando o operador atende, o caçador fala:

— Meu amigo está morto! o que posso fazer?

O operador, com um tom de voz calmo e suave, responde:

— Fique calmo, eu posso ajudar. Primeiro, vamos nos assegurar que ele está mesmo morto.

Fica um silêncio e logo se ouve um disparo.

De volta ao telefone, o caçador diz:

— E, agora, o que fazemos?

18
11
7

Um soldado no Iraque recebeu uma carta da sua namorada, que dizia o seguinte:

"Querido Paul: Não podemos continuar com nossa relação. A distância que nos separa é grande. Confesso que tenho sido infiel por várias vezes desde que você foi embora, e acredito que não merecemos isto! Portanto, penso que é melhor acabarmos tudo! Por favor, manda de volta a minha foto que te enviei. Com amor, Carol."

O soldado, muito magoado, pediu a todos os seus colegas que lhe emprestassem fotos das suas namoradas, irmãs, amigas, primas, etc...

Juntamente com a foto de Carol, colocou todas as outras fotos que conseguiu recolher em um envelope. Na carta que enviou à Carol estavam 98 fotos juntamente com uma nota que dizia:

"Querida Carol: Isso acontece. Peço desculpas, mas não consigo me lembrar quem você é! Por favor, procura a tua foto no envelope e me envia de volta as restantes.

Com carinho, Paul!"

122
111
11

O caipira entrou no consultório e meio sem jeito foi falando:

— Dotô, o negócio não sobe mais. Já tomei de tudo quanto foi chá de pranta mas não sobe mais memo.

— Ah não, meu amigo. Vou te passar um medicamento que vai deixar você novo em folha. São cinquenta comprimidos, um por dia.

— Mais dotô, eu sou um home simpris da roça. Só sei conta inté deiz nos dedos e mais nada.

— Então você vai numa papelaria, compra um caderno de cinquenta folhas. Cada folha um comprimido. Quando o caderno acabar você já vai estar curado. A receita está aqui.

— Brigado dotô. Vô ingora memo compra o tar caderno.

E logo que saiu do prédio avistou de fato uma papelaria ali perto. Entrou, a moça veio atender.

— Eu precisava de um caderno de cinquenta fôia.

— É brochura?

— Médico fio da puta. Já andou espaiando meu pobrema por aí...

30
29
1

O Zé Furdunço encontra o Renato, aquele amigo corno dele, já bem popular na cidade pelas suas "cornitudes". Então ele diz:

— Renato, meu brother! Você gosta de sexo a três?

Renato se achando o cara responde:

— É claro que gosto da sacanagem!

O Zé Furdunço responde:

— Então corre logo pra sua casa, que lá já tem dois!

54
42
12