Piadas de Amigos

Ao chegar a uma festa, numa limousine branca, o boçal encontra um amigo, cumprimenta-o e comenta para esnobar:

— Tô mal de carro, não estou?

Durante a festa, apresenta uma loira fenomenal para o amigo, como sendo sua namorada.

— Tô mal de mulher, não estou?

O amigo, já de saco cheio de tanta provocação, pergunta:

— E aquela sua irmã, a Isadora, que dava pra todo mundo, que fim levou?

— Ah! Ela converteu-se e entrou para um convento! — responde o boçal sem se alterar. — Agora é esposa de Jesus Cristo. Tô mal de cunhado, não estou?

19
5
14

A garota tinha ido a um aniversário e voltou em casa às seis da manhã. Tirou os sapatos para não fazer barulho, mas deu de cara com a mãe, que a esperava preocupada.

— Minha filha! — a mãe gritou e abraçou a garota, desesperada — Onde você esteve? Já liguei para todo o mundo, teus amigos e colegas, e estava quase ligando para a polícia! Por que você demorou tanto?

— Ai, mãe, você nem vai acreditar, mas eu estava saindo da festa, quando apareceu um homem lindo, elegante, todo perfumado que sacou uma arma e disse:

— Ou dá ou morre!

— Meu Deus do céu! — exclamou a mãe enquanto se benzia — E o que você fez, minha filha?

— É claro que eu morri!

17
7
10

Duas grandes amigas, não se viam há muito tempo:

— Puxa vida! Quanto tempo, hein!

— É verdade! E aí, alguma fofoca nova?

— Nem te conto, menina... Saí ontem com um intelectual!

— É mesmo? Me diz, como é que foi?

— Ah... Com intelectual é tudo diferente. Já começa que intelectual não tem pau!

— Não?

— Não... Intelectual tem pênis!

— É? E como é que é?

— É igualzinho a pau, só que é mole!

14
5
9

Dois amigos ginecologistas se encontram no fim de semana.

— Você não vai acreditar — diz um deles, exaltado — Ontem eu atendi uma paciente que tinha um clitóris que parecia uma laranja!

— Isso é impossível! — retruca o amigo mais experiente — Com um clitóris deste tamanho a mulher não poderia nem andar!

— Mas quem falou em tamanho? Eu estava falando de sabor...

18
8
10

A brasileira se encontra com a amiga judia.

— E aí, Suely? Tudo bem? — pergunta a judia.

— Que bem, que nada, Rachel! Estou me separando do meu marido!

— É mesmo? Por quê?

— Inapetência sexual. Você sabe que durante todos esses anos ele nunca comprou uma caixa de Viagra?

— Puxa, que pena.

— E você, como vai com o Jacó?

— Também estamos nos separando!

— Mas por quê?

— Incompetência financeira. Você sabe que em todos esses anos ele nunca comprou ações da Pfizer?

6
-11
17

Aquele famoso fazendeiro era dono do maior galinheiro da região.

Certo dia, conversando com um amigo, ele comenta:

— É Zé, tô cum problemão que ocê nem imagina...

— É memo, uai? Que pobrema?

— Num consigo encontrar um galo pra cruzar todas minhas galinhas!

— Ora, mais isso é fácir de arresorvê! Tenho um galo aqui que parece um garanhão. Pode levá procê!

Alguns dias depois:

— Ô Zé, aquele galo num guentô o baque! Depois de cobrir metade das galinhas o bichinho caiu mortinho no chão.

— Êta, diacho! Os galos de hoje em dia só são bão de garganta! Mais num perca as isperança, meu amigo, você leva o Dão Ruão, tenho certeza de que ele vai arresorvê o seu pobrema.

E vai se embora o fazendeiro, com o Dão Ruão debaixo do braço.

Naquela noite, era tanto o barulho do cacarejar da galinhada que ele nem conseguiu dormir direito.

No dia seguinte, logo ao acordar, todas as galinhas estavam com um sorriso estampado nos bicos, mas, para sua decepção, o Dão Ruão estava estirado no chão, imóvel, rodeado de urubus.

— Puta que pariu! — lamentou. E foi buscar uma pá para enterrá-lo.

Contudo, quando se aproximou do bichinho, este levantou um pouquinho a cabeça, abriu um dos olhos e sussurrou:

— Psiu... Não faz barulho que eu quero ver se pego uma dessas moreninhas!

42
30
12

Num bar, um sujeito malhado, bombado, sarado, vitaminado, mas que por conta de tanta malhação acabou ficando com um corpão e o pescoço muito fino, e foi apelidado de "Pescocim".

Ele se irritava e dava porrada em quem que se atrevesse a lhe chamar pelo apelido. Certo dia no barzinho da esquina, estava a turma do tal "Pescocim" tomando umas, quando chega no bar um bebum já de cara cheia, sem dinheiro, pedindo pra seu Zé lhe vender pinga fiado.

Pra tirar uma onda com o bebum o dono do bar desafia:

— Te dou de graça cinco doses de cachaça da boa, se você mencionar a palavra "Pescocim" para aquele grandão ali.

O pinguço aceita o desafio e se dirigiu a mesa do tal sujeito:

— E aí meu grande amigo, como tem passado?

E o sujeito responde:

— Como assim? Eu nem te conheço!

— Mas que absurdo você não lembrar de mim, amigão. Quantas vezes a gente não pescou juntos no rio Paraná?

— Você deve estar enganado, a gente nunca pescou junto!

— Pescô, sim!

33
27
6

Uma loira se encontra com uma velha amiga morena:

— Menina, como você tá diferente! Cortou o cabelo... Tá moderna!

— Pois é... — concordou a amiga.

— Tá mais magra...bonita!

— Pois é...

— Então, me conta, o que você anda fazendo da vida?

— Tô fazendo quimioterapia...

— É mesmo? — se interessou a loira — Em que faculdade?

31
19
12

No final da noite, os dois bêbados conversam no boteco:

— Agora é só ir pra casa — um deles comenta — e começar a brincar de exorcista com minha mulher!

— Exorcista? — o outro bêbado se surpreende — Como é que é brincar de exorcista?

— Muito simples! — o amigo responde — Ela se faz de padre, fala um sermão e eu vomito!

18
10
8

O sujeito tinha um amigo chamado Walter. Para ele era Deus no céu e o Walter na terra!

Um dia, durante o trabalho, sentiu-se mal e resolveu voltar mais cedo para casa.

Assim que fechou a porta de entrada, ouviu barulho de vozes no quarto. Tirou os sapatos, caminhou feito um gato até a porta do quarto e espiou pelo buraco da fechadura.

Lá estavam o Walter e a sua mulher em pé, se beijando.

De repente ela tirou o sutiã e os peitos desabaram, tirou a calcinha, a bunda arriou...

E o sujeito:

— Meu Deus, que vergonha... o Walter ali e a minha mulher toda despencando!

25
16
9

Três amigos, João, Antônio e Severino, estão trabalhando em uma obra quando o Severino, sofre um acidente e morre.

Os dois precisam contar para a viúva e um deles diz:

— Rapaz eu não tenho coragem de fazer isso, vai lá você e fala com a mulher.

E o outro:

— Eu não vou, vai você!

Depois de muita discussão o João vai.

Uma hora depois ele volta com uma caixa de cerveja na mão e o Antônio pergunta:

— Você não contou pra viúva sobre a morte do Severino?

— Contei.

— E como é que você volta com uma caixa de cerveja?

— Eu cheguei pra ela e disse: "A senhora é a viúva do Severino"?

— E aí?

— Ela disse que não.

— E você?

— Eu disse: "Quer apostar uma caixa de cerveja?"

34
27
7

De um dia para o outro, Josevaldo fica muito mal do estômago, mas muito mal mesmo e, com a certeza de que está nas últimas, diz à mulher:

— Querida, estou muito mal, acho que de hoje eu não passo, então tenho que lhe fazer uma confissão...

— Não precisa, meu bem...

— Precisa sim! Não irei tranqüilo se não dizer... Eu tenho um caso com a...

— Com a Vilma, minha amiga! — completa a mulher — Eu sei de tudo, meu amor! Fique tranqüilo...

— Você sabe? — pergunta o marido, surpreso.

— Claro! Por que você acha que coloquei veneno na sopa que te dei ontem à noite?

19
15
4

O garotinho estava andando de bicicleta quando passou em frente a um motel e viu uma cena curiosa. Um homem parou o seu carro e perguntou para uma bonita mulher que estava ao seu lado:

— E aí, vai dar ou não vai dar?

E ela, ríspida, respondeu:

— Não! Eu não vou dar!

— Então desça já do carro e vá a pé! — esbravejou o homem.

E a mulher saiu andando pela rua, irritadíssima.

O garoto achou a cena interessante e no dia seguinte pegou sua bicicleta, chamou a sua amiga Mariazinha para andar com ele na garupa e passou em frente ao mesmo motel.

Lá ele parou, se virou para Mariazinha e perguntou:

— E aí, vai dar ou não vai dar?

Mariazinha pensou um pouco e disse, convicta:

— Vou dar, sim!

Então o garotinho ficou surpreso, fez uma careta e gritou:

— Então pode ficar com a minha bicicleta que eu vou a pé!

32
25
7