Os Vigaristas

Cantada Econômica

7
-9
16

Dizem as más línguas que o Bernardo Cabral conseguiu conquistar o coração da Zélia através da seguinte cantada, numa das festas na Casa da Dinda:

— Sabia que você é o melhor investimento dessa festa?

— Se você está procurando aplicações de curto prazo, pode reduzir seus gastos com as palavras. Sou uma mulher de renda fixa!

Bernardo Cabral percebeu então que deveria aumentar seu capital de risco:

— Gosto de mulheres assim. Oferecem mais segurança. Essas palavras só garantiram sua valorização!

Zélia, nervosa, remexeu uns papéis na bolsa e subscreveu um lote de desconfiança.

— Quer dizer que minha cotação não caiu?

Cabral sorriu, um sorriso cheio de superávit.

— Pelo contrário! Eu já não consigo conter a inflação dos meus sentimentos... juro!

— De quanto?

Ele cochichou-lhe qualquer coisa no ouvido e ela arregalou os olhos. Com certeza, há tempos não encontrava um homem oferecendo taxas tão altas. Insegura, oscilando como as variações da TR, ela permaneceu em silêncio e ele foi em frente, decidido a obter seu quinhão.

— Você parece triste, em déficit com a vida. Seu IBV médio está em baixa?

— É claro. Há um grande desequilíbrio entre a oferta e a procura — disse ela — os homens não parecem interessados em aplicações a longo prazo. Além disso, sofri uma queda e tive um corte no orçamento.

— Escuta. Por que não saimos daqui? Vamos lá para o meu apartamento? Acho que poderemos fazer um belo programa... de ajuste fiscal.

— Isso é muito commodities pra você!

— Ora vamos! Prometo não lhe envolver em ações ordinárias.

Enquanto ela fazia a conversão da dívida, ele aumentou os incentivos:

— Percebo, pelas projeções dos meus desejos, que temos um grande mercado futuro pela frente. Podemos até adotar um redutor.

Era o que ela precisava ouvir para que a noite rendesse dividendos e bonificações. Ao chegarem a casa, ele, como bom investidor, não perdeu tempo e remunerou o ouvido dela com um pedido:

— Posso transferir alguns recursos líquidos?

Zélia o empurrou.

— Você está muito ativo. Respeite ao menos minha poupança interna.

Cabral, porém, não estava ali para ficar ouvindo sermões e pregões e, antes que ela resolvesse iniciar uma negociação que sabe-se lá quando terminaria, ele aproximou-se e disse baixinho:

— Sabe do que eu gostaria? De botar no teu fundão!

Ela transferiu suas ações (preferenciais) para o fundo e entregou-se como cheque ao portador:

— Tudo bem, mas desde que o seu PIB pare de crescer!