Capiau dos matos

27
4
23

Um capiau dos matos, daqueles que se acha muito macho, mas muito ignorante, foi a cidade se divertir um pouco. Encontrou um parque de diversões, onde tinha uma barraca de tiro ao alvo. Chegando na barraca uma moça muito simpática veio atendê-lo, ele pegou a espingarda e pá, pá, pá, acertou todos os alvos. A moça sorrindo fala:

— O senhor acertou todos os alvos!

— Ué, e era para errar?

— Não, isso quer dizer que você tem direito a um prêmio.

— E o que é, que eu vou ganhar?

— Temos este ursinho de pelúcia, não é lindo?

— Bah! O que é que eu vou fazer com isso? Não sou mulherzinha, não tenho mulher, não tenho namorada, não conheço nenhuma mulher, não quero esta porcaria. Por que não tem um prêmio melhor?

Aí vendo, que o caipira não ía mais parar com aquele falatório, a moça dá para ele uma tartaruguinha como prêmio. Ele dá uma olhada, olha novamente o bichinho, e vai embora levando a tartaruga.

No dia seguinte ele retorna na mesma barraca, começa a jogar, atirando nos alvos e acerta todos novamente. A moça pergunta se ele quer ficar com o ursinho de pelúcia.

— Não quero essa porcaria, não sou mulherzinha, não tenho mulher, não tenho namorada...

A moça vendo que ía começar tudo outra vez, para encerrar aquela reclamação, pergunta:

— Então o que o senhor quer ganhar desta vez?

— Ah! Mê dá um sanduíche igual ao de ontem.