Piadas de Crianças

40
23
17

Outro Irmãozinho

Juquinha tem uma conversa muito séria com o pai.

— Pai, eu queria tanto ter um irmão pra brincar com ele.

O pai tentar desconversar e fala:

— Mas você tem um irmão, Juquinha. É que você nunca vê ele. Toda vez que você vai chegando em casa, ele sai um pouquinho antes de você entrar. Entendeu?

Juquinha pensa um pouco e fala:

— Sei. Entendi. É como o meu outro pai.

55
42
13

Menino ou Menina?

Na maternidade, dois bebês deitados lado a lado conversam. O menino pergunta:

— Você é um menino ou uma menina?

— Sei não. Acabei de nascer.

— Vamos ver o que você é. Baixe um pouco o lençol.

— Não! Que isso?

— Só um pouquinho.

— Não!

— Só um pouquinho. Ninguém tá vendo.

— Não. Nem pensar.

— Deixa eu ver, deixa.

— Tá bem. Tá bem. Mas só um pouquinho.

— Assim não dá pra saber. Baixa mais, baixa.

— Você tem certeza de que não vem ninguém?

— Tenho, sim.

— E aquela enfermeira ali?

— Tá dormindo. Baixa mais, baixa. Só um pouquinho, baixa.

— Assim?

— Ah, é uma menina. Os sapatinhos são cor de rosa...

41
1
40

Depois da Cirurgia

O paciente mirim acorda chorando depois da cirurgia e chama a enfermeira.

— Enfermeira, eu quero ir pra minha casa.

— Que história é essa de ir pra casa? Você já é um homem.

O paciente mirim toma um susto, pensa um pouco e pergunta:

— Quanto tempo passei dormindo?

32
18
14

Desenho da Filhinha

Tarde tranquila. A mãe a costurar e a cantar uma terna canção de Roberto Carlos. Aqui, acolá ela corta um pedaço de pano. Corta e costura. Ao lado está a pequerrucha Mariazinha, filha única e mimada, entretida com papel e lápis a desenhar figuras. O tempo passa e passa. A certa altura, a mãe pede a Mariazinha que lhe mostre os desenhos. Ela mostra os desenhos e a mãe toma um grande susto. Um susto tremendo. O que a mãe vê lhe causa uma terrível decepção, um verdadeiro choque. Os desenhos retratam claramente o famoso passaralho ou, para os mais sensíveis, um falo, o símbolo da virilidade: duas bolas e, saindo dentre elas, uma haste. A mãe não acredita no que vê. Como é que uma criancinha tão inocente começa, de repente, a desenhar essas coisas? Ela se controla o mais que pode e pergunta:

— Onde é que você viu isso, Mariazinha?

— Na sua mão, mãezinha.

— O quê??? O que você anda aprontando sua...

A mãe perde o controle. Mulher virtuosa e conhecedora de seu papel de mãe, ela não admite comportamentos indecentes. Desde cedo tem de impor respeito e dignidade à família. Aplica uma bem merecida surra na Mariazinha. Surra, castigo em pé no canto da parede, uma semana sem ver televisão e sem a mesada.

— Quando seu pai chegar você vai ter uma conversinha com ele.

Pobre Mariazinha! Ela chora, soluça desconsolada sem entender direito a gravidade de seus estranhos desenhos. A tarde passa devagar. E a Mariazinha em pé, já cansadinha, a coitada. E chorando aquele triste choro entrecortado de soluços. Como a tarde passa devagar.

Chega finalmente a noite e o pai volta do trabalho. A mãe vai falar com ele e diz para ele ter uma conversa muito séria com a filha. Já é tempo. Envergonhada, não mostra sequer os desenhos: o pai que pergunte à filha.

— O que é que você estava desenhando, Mariazinha? — pergunta o pai.

— A tesoura da mamãe...

36
-18
54

Profissão dos Pais

É o primeiro de ia de aula e a professora quer saber o que os pais dos alunos fazem.

— Agora, eu quero saber qual a profissão do pai de cada um de vocês. Alberto, o que é que o seu pai faz?

— Ele é comerciante, professora.

— Ah, muito bem. E você, Bartolomeu? O que o seu pai faz?

— Ele é gerente do banco, professora.

E assim ela vai percorrendo a lista de chamada até que chega a vez de Juquinha.

— Juquinha, o que é que seu pai faz?

— Professora, sniff! sniff! meu pai morreu na semana passada.

— Ah, eu não sabia, Juquinha. Os meus pêsames. Mas o que ele fazia antes de morrer?

— Toss, toss, arrghhh! Arrghh! Plufft!

23
-8
31

Cinco Caixas de Camisinhas

O garoto chega à farmácia e fala:

— Seu Joaquim, minha mãe pediu pra o senhor mandar cinco caixas de camisinhas.

— Qual o tamanho.

— Sei não.

— Então vá perguntar.

Pouco depois, o garoto volta.

— Ela disse pra mandar sortido. É que ela vai passar o fim de semana fora.

36
7
29

Ofensas dos Irmãos

Dois irmãos estavam brigando. Discutiam alto e trocavam ofensas. Até que o mais velho dá um tapa na orelha do mais novo, que grita:

— Filho da puta!

O mais velho, indignado, pergunta:

— Nossa mãe é puta? Hein? Nossa mãe é puta? Seu filho duma égua!

78
61
17

Professor Muito Bravo

O professor de ciências era muito bravo. Um dia ele levou para a aula uma pata de um pássaro. Apontou para um aluno e perguntou:

— Olhando esta pata de pássaro responda-me: qual é a família, gênero e espécie do animal?

— Como é que eu vou saber isso tudo com uma pata?

— Seu ignorante — gritou o professor. — Você está suspenso!

E pegando uma caneta e um papel, perguntou ao menino:

— Qual é o seu nome completo?

O menino estendeu a mão para o professor e disse:

— Adivinha!

34
27
7

Premonição do Filho

Um homem vai ao quarto de seu filho para dar-lhe boa noite e percebe que garoto está tendo um pesadelo. O pai o acorda e pergunta-lhe se ele está bem. O filho responde que está com medo porque sonhou que a tia Suzana havia morrido. O pai garante que tia Suzana está muito bem e manda-o de novo para a cama.

No dia seguinte a tia Suzana morre.

Uma semana depois, o homem volta ao quarto de seu filho para dar-lhe boa noite. O garoto está tendo outro pesadelo, e desta vez diz que sonhou que a avô havia morrido.

No dia seguinte o vovô morre.

Uma semana depois, o homem vai de novo ao quarto de seu filho para dar-lhe boa noite. O garoto está tendo outro pesadelo. Desta vez o filho responde que sonhou que o papai havia morrido. O pai garante que está muito bem e manda-o de novo para a cama.

No dia seguinte ele está apavorado. Tem certeza de que vai morrer. Sai para o trabalho e dirige com o maior cuidado para evitar uma colisão. Não almoça com medo de veneno; evita as pessoas, com medo de ser assassinado, tem um sobressalto a cada rua... Ao voltar para casa, ele encontra sua esposa e diz:

— Meu Deus... Tive o pior dia de minha vida!

E ela responde, toda chorosa:

— Você acha que o seu foi pior... E o meu chefe, que morreu hoje de manhã assim que chegou ao escritório!

32
7
25

Riqueza e Pobreza

O filho pequeno pergunta ao pai:

— Pai, qual é a diferença entre a riqueza e a pobreza?

— Ah! meu filho — suspira o pai.

— A riqueza é o caviar, é o champanhe, são as mulheres. A pobreza é a carne de segunda, é a cachaça e a tua mãe.

53
36
17

Mosquitos no Quarto

Um menino chamou o pai no meio da noite e disse:

— Pai, tem muitos mosquitos no meu quarto!

— Apague a luz que eles vão embora!

Logo depois apareceu um vaga-lume. O menino chamou o pai outra vez:

— Pai, socorro! Agora os mosquitos estão vindo com lanternas!

35
19
16

Planejamento é Tudo

Um garoto de 12 anos entra num bordel arrastando um gato morto por um barbante. Coloca uma nota de 50 no balcão e diz:

— Quero uma mulher!

A cafetina, olhando para ele, responde:

— Você não acha que é um pouco jovem para isso?

Ele baixa uma segunda nota de 50 no balcão e repete:

— Quero uma mulher!

— Tá certo, — responde ela. — Senta aí que vem uma dentro de meia hora.

Ele põe outra nota de 50:

— Agora! E ela tem que ter gonorréia!

A cafetina pergunta por que, mas ele saca mais uma nota de 50 e repete:

— Gonorréia!

Alguns minutos depois chega uma mulher...

Eles sobem a escada — ele arrastando o gato morto. No quarto ela faz seu trabalho... quando eles estão saindo, a cafetina pergunta:

— Tudo bem, mas por que você queria alguém com gonorréia?

— Quando eu voltar para casa, vou transar com a babá, e quando o papai voltar para casa, ele vai levar a babá para casa dela e vai transar com ela. Quando ele voltar para casa, vai transar com a mamãe, e amanhã de manhã, depois que o papai sair para o trabalho, a mamãe vai transar com o leiteiro... aquele filho da puta que atropelou meu gato!

70
58
12

Rodando a Bolsinha

Uma mulher, de táxi, com a filha de 11 anos, andam à noite. No caminho, a menina vê mulheres rodando bolsinha.

— Mãe,o que aquelas mulheres estão fazendo?

— Esperando seus maridos saírem do trabalho.

O taxista rindo diz:

— Fale a verdade para a garota... Elas são prostitutas, estão esperando clientes que lhes paguem para fazer sexo!

Todos ficam calados até que a menina pergunta:

— Aquelas mulheres também tem filhos, mamãe?

— Claro filha... Como você acha que nascem os taxistas?

44
16
28

Levantando a Perna

Juquinha e Martinha estavam no quintal brincado, ate que o Juquinha teve uma idéia:

— Martinha vamos brincar de que levanta a perna mais alto?

A Martinha topou na hora, e la estão eles, primeiro foi o Juquinha, e depois foi a Martinha...

— Eu ganhei Juquinha, eu levantei a perna mais alta, porem a Martinha estava com saia e sem calcinha...

— Isso não vale, você trapaceou quando você abriu a perna eu vi uma dobradiça.

65
51
14

Cruzar o Touro

Padre recém chegado na paroquia do interior encontra na estrada uma menina de uns seis anos, puxando uma vaca.

- Onde vai, minha menina?

- Vou levar a vaca para cruzar com o touro do Seu Zé.

O padre escandalizado, imaginando a cena que a menina iria ver, tentou demove-la:

- Será que seu pai não poderia fazer isto?

- Não. Tem que ser com o touro mesmo...

63
46
17

Sede e Preguiça

Mariazinha, uma garota muito levada, já havia se deitado para dormir quando percebeu que estava com sede. Com sede e com preguiça de se levantar. A saída foi pedir à mãe.

— Mãnheeeêêê! Me traz um copo d'água.

Era a hora da novela e a mãe fez que não ouviu nada. Mariazinha insistiu.

— Mãnheeeêêê! Me traz um copo d'água.

E nada. Novamente, a mãe fez que não ouviu. Mas a sede era tão grande quanto a preguiça de se levantar da cama.

— Mãnheeeêêê! Me traz um copo d'água.

— Se levante e vá beber na cozinha, Mariazinha.

Mais algum tempo e...

— Mãnheeeêêê! Me traz um copo d'água.

— Ó Mariazinha, se você continuar insistindo, eu vou aí lhe dar umas palmadas.

— Mãe, quando você vier me dar umas palmadas, você me traz um copo d'água?

23
3
20

Motivo da Compra

Um garoto entra no armazém e pede ao vendedor:

— Me dá um tubo de tinta spray preta.

O vendedor não pode vender tinta spray a menores de idade e pergunta ao garoto:

— Pra que você quer essa tinta?

— É pra pintar uma cadeira.

— Cadê a cadeira?

O garoto não tem cadeira nenhuma pra pintar e sai puto da vida. No outro dia, ele volta ao armazém e pede ao vendedor um tubo de tinta spray amarela. O vendedor repete a mesma pergunta:

— Pra que você quer essa tinta?

— É pra pintar uma cadeira.

— Cadê a cadeira?

Mais uma vez o garoto fica puto da vida e vai embora. No dia seguinte, ele volta ao armazém com um saco na mão. Chama o vendedor e diz:

— Vê o que é que tem aí dentro.

O vendedor, curioso, põe a mão dentro do saco e fala:

— Hum... o que é isso? Pastoso, meio morno...

— Me dá um rolo de papel higiênico.

32
-4
36

Perdido no Deserto

O menino estava perdido no meio do deserto quando encontrou uma lâmpada maravilhosa. Apanhou a lâmpada e, sabendo o que tinha de fazer, friccionou-a três vezes. Como era esperado, de dentro da lâmpada saiu o gênio que lá estava guardado havia centenas de anos.

— Pois não, meu amo e senhor — disse o gênio. — Qual o vosso pedido?

— Quero ir pra casa.

— Então vamos - disse o gênio enquanto pegava na mão do garoto e saíam andando.

— Não. Assim não. Eu quero chegar rápido, seu Gênio.

— Tá bem. Então vamos correr.

21
-17
38

Conversa de Pai e Filho

O pai conversa com o filho. É uma dessas conversas sérias, de homem pra homem. E finaliza:

— Espero que você tenha entendido tudo o que eu lhe falei, meu filho, porque um pai que não se comunica, não se faz entender por seu filho é um verdadeiro ignorante, um estúpido. Entendeu?

— Não, papai.

96
72
24

Menino e Menina

No berçário, o menininho assedia a menininha:

— Olá, você vem sempre aqui?

— Só quando eu nasço!

— Eu também! — e pouco depois: — Eu sou um menino!

— Como você sabe?

— Espera só a enfermeira sair que eu te mostro.

Assim que a enfermeira sai:

— Pronto, ela já saiu — diz a menina. — Agora me mostra como você descobriu que é um menino!

O menino levanta a coberta e diz:

— Olha aqui pra baixo...

— Tô olhando, o que é que tem?

— Tá vendo meu sapatinho? É azul!

95
55
40

O Banho do Gato

A menina pergunta para a mãe:

— Mãe, posso dar banho no gato?

A mãe responde:

— Pode, mas cuidado porque ele não gosta de água, minha filha.

Depois que a menina deu banho no gato, ela disse pra mãe:

— Mãe! O gato morreu!

— Você sabia que ele não gostava de água! — disse a mãe.

A filha explicou:

— Mas não foi a água que matou o gato! Foi na hora de torcer ele!

61
44
17

Cães Acasalando

O menino está passeando com o pai quando vê um casal de cães acasalando no meio da rua. Estranhando o comportamento dos animais, e com a curiosidade normal das crianças, ele pergunta ao pai o que a dupla canina está fazendo.

— Bem... Eles estão fabricando um cachorrinho. — explica o pai, que é do tipo moderno e não gosta de ficar enrolando.

Naquela mesma noite, o garotinho entra no quarto dos pais e os encontra em pleno ato de amor. Diante da pergunta inevitável e, para manter a coerência, o pai responde:

— Estamos fabricando um irmãozinho para você, meu filho...

O garoto corta na hora:

— Ah, não, pai! Então bota a mamãe naquela outra posição, porque eu prefiro ganhar um cachorrinho!

114
79
35

Menino Pobre

João era um menino pobre que mandou uma carta para Papai Noel. Assim que a carta chegou ao correio, os funcionários, sem terem para quem mandar a carta, resolveram abri-la. Nela, João dizia que não queria presentes e sim R$ 200,00 para comprar remédios para sua mãezinha que estava muito doente. Disse também que era pobre, porém trabalhador, e que tinha sido um bom menino durante o ano.

O pessoal do correio, sensibilizado com tamanha pureza, fez uma vaquinha e, cata daqui, pede de lá, angariou R$ 100,00, que foram enviados a João em nome de Papai Noel. Passado algum tempo, eis que chega uma outra carta de João para Papai Noel. A carta dizia: "Caro Papai Noel, muito obrigado pelo dinheiro que o senhor me mandou. Minha mãe já está melhor e manda agradecer. Gostaria apenas de lhe pedir um favor: da próxima vez que o senhor mandar dinheiro para mim, entregue diretamente no meu endereço, pois aqueles filhos da mãe do correio passaram a mão em metade da minha grana!"