Piadas de Crianças

Estava o viajante morrendo de sede, perdido no meio da caatinga, debaixo de um sol escaldante, quando se deparou com uma casinha de taipa.

Imediatamente bateu palmas e logo apareceu um garotinho barrigudo de olhos remelentos.

— Você poderia me arranjar alguma coisa para beber? — pediu o viajante.

— Poderia sim, senhor!

Então, o menino desaparece para dentro da casa e logo volta com uma cuia imunda que entrega ao viajante.

O viajante olha meio enojado para a cuia, fecha os olhos e bebe tudo num gole só.

— Tava muito ruim? — pergunta o menino.

— Tava não, por quê?

— É que tinha um rato morto dentro da cuia.

— Seu filho da puta! — esbravejou o viajante, furioso. — Na hora que eu te pegar, quebro a cuia na sua cabeça!

— Faz isso não, moço, que essa cuia é da mãe mijar!

50
41
9

Poucos meses depois de casada, a jovem vai visitar os pais, com uma boa notícia:

— Estou grávida!

— Parabéns! — diz a mãe. — Já pensou no nome?

— Sim, se for menino vai se chamar Edson e se for menina vai se chamar Edson também!

E assim foi durante os nove meses de gravidez. Toda vez que ela se referia ao bebê, chamava-o pelo nome. Era Edson pra lá, Edson pra cá, até que um dia o bebê, ou melhor, Edson nasceu.

Ainda na maternidade, a mãe da jovem brinca com a criança.

— Bilú... bilú... vem com a vovó, vem Edson.

— Não é Edson, mãe! É Pelé! — corrige a jovem.

— Ué, mas não era Edson?

— Edson era antes do nascimento!

43
6
37

Certo dia uma mulher grávida de trigêmeos estava na fila de um banco quando um assaltante invade o local e lhe dá três tiros na barriga acertando uma bala em cada bebê.

Como só acontece em piadas sem-graça, a mulher conseguiu sobreviver juntamente com os seus filhos. Passados exatamente onze anos, um dos filhos da mulher vem correndo em sua direção e fala:

— Mãe, mãe! Eu estava no banheiro mijando, quando de repente uma bala saiu pelo meu pinto!

Então, a mãe lhe explicou o incidente ocorrido durante sua gravidez. Dias depois veio o outro filho com a mesma conversa:

— Mãe, mãe! Eu estava no banheiro mijando, quando de repente uma bala saiu pelo meu pinto!

Ela também lhe explicou a história do assalto. Logo em seguida, veio o terceiro filho, gritando todo aflito.

— Já sei! Já sei! Disse ela, você também estava mijando e de repente uma bala saiu pelo seu pinto, não é?

— Nada disso, mãe! Eu estava batendo uma punheta e matei a empregada!

46
37
9

Mariazinha, no auge dos seus 5 anos, entra no banheiro e se depara com a mãe, peladona. Antes que ela possa se cobrir a garota vai logo perguntando:

— Mamãe! O que são esses pêlos aí no meio das suas pernas?

— Bem, filha... Quando você crescer vai acontecer a mesma coisa com você... É coisa de gente grande!

— Tá bom... Mas isso aí não incomoda na hora de você trepar?

22
12
10

Pai e filho estão viajando de carro quando se deparam com uma cena inusitada: um homem levantando o rabo de um cavalo e analisando as suas partes íntimas.

— O que é isso, pai? — pergunta o filho, curioso.

— É muito simples! — esclarece o pai — Este senhor está querendo comprar o cavalo daquele outro senhor.

— E a melhor maneira de ver se um cavalo está bem de saúde é olhando o seu traseiro!

— Nossa! — exclamou o garoto, preocupado — Então eu acho que a mamãe não tá nada bem...

— Como assim? — pergunta o pai, confuso.

— Todos os seus amigos olham pro traseiro dela e até hoje nenhum deles comprou!

16
12
4

O pai entra na sala e encontra a filha de 8 anos fumando.

— Minha filha! Desde quando você está fumando?

— Desde quando perdi a virgindade!

— Você já perdeu a virgindade? Quando foi isso?

— Nem me lembro, eu estava completamente bêbada!

51
34
17

Entusiasmado com a sopa de frutos do mar que a esposa fizera para o jantar, o sujeito exclama:

– Meu bem... Você deveria vender isto para um restaurante! As pessoas iriam adorar!

Nisso o filho de 12 anos entrou na conversa:

– Será que dava para vender a minha também?

12
-8
20

A garotinha de treze anos comenta com a mãe sobre o seu primeiro namorado:

— O Paulinho é um gato, mamãe! Carinhoso, gentil, bonito, forte e inteligente! Tem tudo o que uma mulher pode querer de um homem! Ele só tem um defeito!

— Qual? — pergunta a mãe curiosa.

— Ele é um pouco atrevido! Imagina que logo na primeira vez que nós saímos ele me pediu um beijo!

— No duro?

— Não, mãe! Na boca!

26
16
10

Último dia de aula, os alunos resolvem presentear a professora.

O filho do dono de uma doceria entrega-lhe uma caixa. Ela dá uma sacudidinha:

— São bombons?

— Acertou, professora!

A filha do dono da livraria entrega-lhe o seu embrulho.

— Esse está pesado. Acho que é um livro...

— Acertou, professora!

O filho do dono do bar entrega-lhe o seu presente. Ela nota um pequeno vazamento na embalagem, passa o dedo, apanha uma gota, experimenta e arrisca:

— É um vinho?

— Não, professora.

Ela experimenta mais uma gota.

— É um uísque?

— Também, não...

— Desisto! O que você me deu?

E o menino:

— Um cachorrinho...

36
28
8

O sujeito pergunta para a filha o que ela quer de presente de aniversário:

— Eu quero uma boneca de pano! — a menina exclama.

— Uma boneca de pano? — o pai pergunta, surpreso — Eu pensei que você só gostava de bonecas da Barbie!

— Sim, pai! — responde a menina — Mas já tenho cinco Barbies e elas precisam de uma empregada!

31
23
8

O professor de ciências explica o fenômeno da circulação sanguínea:

— Se eu ficar de cabeça para baixo, todo o sangue vai descer para minha cabeça e meu rosto vai ficar vermelho, não é mesmo?

— Sim, professor! — concorda a classe.

— Agora, alguém sabe me dizer por que é que os meus pés não ficam vermelhos quando estão no chão?

— Eu sei, professor — diz um aluno, levantando-se. — É porque os seus pés não são vazios.

14
4
10

O garotinho estava andando de bicicleta quando passou em frente a um motel e viu uma cena curiosa. Um homem parou o seu carro e perguntou para uma bonita mulher que estava ao seu lado:

— E aí, vai dar ou não vai dar?

E ela, ríspida, respondeu:

— Não! Eu não vou dar!

— Então desça já do carro e vá a pé! — esbravejou o homem.

E a mulher saiu andando pela rua, irritadíssima.

O garoto achou a cena interessante e no dia seguinte pegou sua bicicleta, chamou a sua amiga Mariazinha para andar com ele na garupa e passou em frente ao mesmo motel.

Lá ele parou, se virou para Mariazinha e perguntou:

— E aí, vai dar ou não vai dar?

Mariazinha pensou um pouco e disse, convicta:

— Vou dar, sim!

Então o garotinho ficou surpreso, fez uma careta e gritou:

— Então pode ficar com a minha bicicleta que eu vou a pé!

31
24
7