Os Vigaristas

Família Italiana

7
-1
8

O Nôno foi hospitalizado e os filhos, netos e bisnetos vieram de todos os cantos do mundo. Os médicos deixaram que os parentes levassem-no para a sua casa, para cumprir seu último desejo: o de morrer em casa, ao lado de seus queridos parentes.

Foi para o quarto e as visitas foram se revezando para tentar consolar e dar conforto ao Nôno em seu derradeiro momento. De repente, o Nôno sentiu um aroma maravilhoso que vinha da cozinha. Era a Nona tirando do forno uma fornada de pastiére de grani italiani. Os olhos do Nôno brilharam e ele se reanimou. Então, o Nôno pediu ao bisneto que estava ao lado da cama dele:

— Piccolo mio, vai na cojina e pede um pedaxo de pastiére pra Nona.

O guri foi e voltou muito rápido.

— E o pastiére ? — perguntou o Nôno.

— A Nona disse que non!

— Ma per que non, porca miséria, ma que vécchia desgraciata! Quê que esta putana falô?

— A Nona disse que é pro velório!