Piadas de Joãozinho

38
24
14

Brinquedinho

Joãozinho toma banho com a irmã. Ao assistir ele brincar com o seu próprio "brinquedinho", ela reclama:

— Eu também quero mexer no seu brinquedinho!

— Nada disso! — responde ele, decidido. — Você quebrou o seu e vai acabar quebrando o meu também...

63
42
21

Palavrões do Joãozinho

Na sala de aula o maior silêncio quando, de repente, ouve-se a voz do Joãozinho:

— Puta que o pariu, mas que merda!

— O que é isso, Joãozinho? — adverte a professora. — Que modos são esses?

— Desculpe, professora! Mas é que eu estou com uma filha da puta de uma pulga dentro da porra da minha cueca e a lazarenta fica pulando toda a hora e isso me faz uma cócega do caralho!

— Joãozinho! Eu não admito que se fale palavrões!

— Ah é? Quero ver quando a senhora tiver com uma coceira na boceta!

29
3
26

Na Idade da Pedra

Em certa escola, na Idade da Pedra, a professora distribui um pedaço de pedra, um martelinho e um cinzel para cada aluno e começa a fazer o ditado.

— O rei...

Pléc, pléc, pléc. Todo mundo grava uma coroa.

— ... é forte...

Pléc, pléc, pléc. Todo mundo grava um leão.

— e viril...

Todo mundo pensativo, de repente a voz de Joãozinho quebra o silêncio:

— Professora! Viril se escreve com um ou dois testículos?

182
166
16

Quero Mijar

Joãozinho vai com sua mãe ao shopping. Depois de caminharem um pouco, fica com vontade de ir ao banheiro e grita bem alto:

— Mãe, eu quero mijar!

A mãe, constrangida, leva Joãozinho ao banheiro. Quando ele sai, ela lhe diz:

— Meu filho, quando você sentir vontade de mijar, diga que quer cantar. Assim mamãe não passa vergonha, tá?

O menino, sem questionar, aceita o que a mãe lhe propõe. Então, toda vez que vão ao shopping, passa a dizer à mãe que quer cantar, quando quer que ela o leve ao banheiro.

Certo dia, Joãozinho vai passar um final de semana na casa do avô. Como o avô era viúvo, os dois dormiram juntos na mesma cama.

No meio da noite, ele levanta e acorda o vovô:

— Vô, eu quero cantar.

O vô, sem saber do que isso se tratava, responde:

— Não, Joãozinho, você vai acordar a vizinhança!

O menino deixa passa mais uns vinte minutos, e diz novamente:

— Vô, eu preciso cantar, vô!

O avô, novamente:

— Não, netinho, amanhã você acorda cedinho e canta pra todo mundo ouvir.

Passam-se mais cinco minutos e Joãozinho, não aguentando mais:

— Por favor, vô, deixa eu cantar, eu não aguento mais, vô, eu preciso cantar!

E o avô, já cansado das reclamações do neto:

— Tá bom, Joãozinho, então canta bem baixinho no meu ouvido.

46
29
17

Pessoa Mais Rápida

Na sala de aula, a professora pergunta:

— Alguém de vocês sabe quem é a pessoa mais rápida do mundo?

— É o Schumacher! — se arrisca Pedrinho.

— É o Rubinho! — diz Mariazinha.

Todos caem na gargalhada.

— Eu sei! — grita Joãozinho, com convicção — A pessoa mais rápida do mundo é a minha tia!

— Sua tiiiiia? — pergunta a professora, espantada — Por quê?

— Quando ela sobe na balança ela vai de zero a cem em menos de um segundo!

27
-19
46

Redação do Joãozinho

Naquela segunda-feira, os alunos entregam a redação que a professora havia encomendado no final de semana. Todo mundo entrega uma folhinha ou no máximo duas, somente o Joãozinho aparece com um calhamaço de papel encadernado.

— O que é isso, Joãozinho? — pergunta a professora.

— É a minha redação professora!

Cheia de curiosidade, a professora toma aquele enorme volume na mão. Abre a primeira página e lê: "A Grande Cavalgada". Vira a segunda: "Cataplóc, Cataplóc, Cataplóc" e na terceira: "Cataplóc, Cataplóc, Cataplóc" e na quarta: "Cataplóc, Cataplóc, Cataplóc". E assim sucessivamente, ela vai lendo uma a uma, as páginas do livro e em todas as mesmas palavras "Cataplóc, Cataplóc, Cataplóc".

Até que ela chega à última página "Cataplóc, Cataplóc, Cataplóc... ôôôôôôôôôaaaaa".

35
21
14

Nascidos do Repolho

O Joãozinho pergunta ao pai como ele e sua irmã nasceram.

— Ah! Eu encontrei você dentro de um repolho e sua irmã dentro de um pé de alface!

Na mesma noite, Joãozinho passa pelo quarto dos pais e pega os dois em pleno ato. Ele dá uma piscadinha para o pai e diz:

— Aí, velhão! Cuidando da horta, hein!

57
45
12

Aviãozinho na Aula

O Joãozinho, que sempre foi muito sapeca, estava com a corda toda naquele dia, na escola.

Num dado momento, ele joga um aviãozinho de papel na professora, que estava escrevendo no quadro negro.

Zangada, ele se vira para a classe e pergunta:

— Quem foi que começou com o avião?

Joãozinho, com cara de safado, responde:

— Foi Santos Dumont, professora!

53
43
10

Pai Traficante

Na sala de aula, pergunta a professora:

— Aninha, o que o seu pai faz?

— Meu pai é dentista, professora!

— Juquinha, e o seu pai?

— Médico, professora!

— Joãozinho, e o seu?

— Traficante, professora!

— Nooossssa! — reagiu a classe em uníssono.

Na hora do intervalo um amigo vira-se para Joãozinho e pergunta, indignado:

— Mas você não falou que o seu pai era deputado?

— Sim... mas é que tenho vergonha de dizer isso na frente de todo mundo!

51
34
17

Perto da Escola

A professora ralhava com o Joãozinho:

— Joãozinho, a que distância você mora da escola?

— A dois quilômetros, professora!

— E a que horas você sai de casa?

— Às sete e quinze, professora!

— Então, se você tem quarenta e cinco minutos para percorrer apenas dois quilômetros, por que é que chega todo dia atrasado?

— É que tá cheio de placas escrito: "Devagar, Escola".

56
39
17

Cabeu e Coube

Joãozinho, sempre ele, escreveu numa redação da escola: o gato não "cabeu" no buraco. A professora, de castigo, mandou-o escrever 20 vezes no quadro a palavra "coube".

Quando ele terminou, a professora contou as palavras e comentou:

— Mas você só escreveu "coube" 19 vezes, Joãozinho!

— É que a última já não "cabeu", professora!

22
-7
29

Atrasado Novamente

Joãozinho entra de fininho na sala de aula e é surpreendido pela professora:

— Atrasado de novo, Joãozinho?

— Pois é, professora... Acontece!

— Acontece? — exclama ela, exaltada — Você anda muito indisciplinado, garoto! Quando não chega atrasado nas aulas, falta. O que você pretende ser se comportando assim?

— Político, professora!

37
21
16

Prova Oral

Dia de prova oral. A professora chama o primeiro aluno e explica as regras:

— Joãozinho! Não sei se você conhece as regras, mas na prova oral você não pode olhar para os lados, nem consultar nenhum material.

— Pra cada pergunta que eu fizer a sua resposta tem que ser oral. Entendeu?

— Entendi, fessora...

— Então vamos começar: quem descobriu o Brasil?

— Oral...

20
-18
38

Funcionário Público

No intervalo das aulas na escola, estava a maior baderna entre a criançada. De repente, o Joãozinho tem uma idéia e grita:

— Galera! Tenho uma idéia!

— Qual é? — Pergunta a garotada curiosa.

— Vamos brincar de funcionários públicos?

— Vamos, mas como é que se brinca disso?

— É fácil! O primeiro que se mexer perde!

32
19
13

Nome de Flor

Conversando com a professora, Joãozinho começa a falar da sua família:

— Fessora! Sabia que todas as minhas irmãs têm nome de flor?

— É mesmo, Joãozinho? — diz ela, animada — Que bonito! E quantas irmãs você tem?

— Ah, professora... Tenho tantas que nem sei!

— Nossa! E quem escolheu esses nomes de flores? A sua mãe?

— É! Ela também tem um nome de planta!

— Não diga! Como ela se chama?

— Trepadeira, fessora!

26
10
16

Chuva de Noite

Ao chegar de viagem, dona Tereza pergunta para o filho de cinco anos:

— E aí, Joãozinho? Correu tubo bem por aqui na minha ausência?

— Tudo mamãe! Só teve um dia que deu uma chuva muito forte e eu fiquei com medo e o papai veio dormir com eu.

— Comigo, Joãozinho! — corrigiu a empregada.

— Não, Maria! Isso foi no sábado! Eu estou falando de domingo, quando choveu!