Piadas de Médicos

Um caipira vai ao médico.

O médico pergunta:

— Então, o que o senhor tem?

E o caipira fala:

— Bem doutor, eu tenho uma casinha lá no interior que tem, uma vaca, um boi, dois cachorros e...

Antes que ele terminasse, o médico diz:

— Não, o senhor não entendeu! O que o senhor sente!

E o caipira olha bem pra ele e diz:

— Sinceramente doutor, eu tenho vontade de vender tudo isso, e comprar uma casinha na capital...

19
1
18

O médico chama seu paciente em seu consultório e diz:

— Eu tenho uma noticia boa, e uma ruim para você. Qual você quer ouvir primeiro?

— A boa — diz o paciente

— Bom a boa e que você tem 24 horas de vida!

O paciente muito nervoso diz:

— Mas doutor se essa é a boa qual é a ruim?

E o doutor responde:

— A ruim? É que eu quero falar com você desde ontem!

54
41
13

O loira passa pela rua rodando um barril enorme. Solicito, um rapaz pergunta:

— Quer ajuda?

— Claro! — Ela responde.

O rapaz sai rolando aquele negócio pesadão pela rua. Não se contendo, quer saber o que há dentro.

— Urina! — responde a loira — Tô levando pro médico.

O rapaz se surpreende:

— Tudo isso aqui dentro é urina? Mas pra que tanto?

— Ah, vai entender os médicos... — diz a loira, irritada — Só sei que ele mandou: "A cada seis meses a senhora vem aqui e me traz a urina!"

156
47
109

Já no clima da festa de sábado, três mulheres – uma noiva, uma casada e uma amante – estavam conversando sobre seus relacionamentos e decidiram agradar seus homens. Aquela noite todas as três iriam testar sensualidade e o poder que exerciam sobre seus companheiros, usando corpete de couro, máscara nos olhos e botas de cano alto. Após alguns dias, elas tornaram a se encontrar. Cada uma relatou sua experiência.

Disse a noiva:

— Naquela noite, quando meu namorado chegou em casa encontrou-me usando o corpete de couro, botas com 12 cm de salto e máscara sobre os olhos. Ele me olhou intensamente e disse: "Você é a mulher da minha vida. Eu te amo". Então fizemos amor a noite inteira.

A amante contou sua versão:

— Ah, comigo também foi parecido. Naquela noite encontrei meu amante no escritório. Estava usando um corpete de couro, mega saltos, máscara sobre os olhos e... mais nada. Usava uma capa de chuva para cobrir meu corpo. Quando abri a capa, ele não disse nada. Seus olhos me devoraram. Ele me agarrou e fizemos sexo a noite toda.

E aí a casada contou sua história:

— Naquela noite mandei as crianças para a casa da minha mãe. Arrumei-me como combinado: corpete de couro, super saltos, máscara sobre os olhos. Então resolvi incrementar o visual. Aproveitei para inaugurar um perfume novo e um batom vermelho que nunca tinha usado antes. Lembrei-me de um comentário que meu marido fez sobre a sensualidade da roupa íntima preta e coloquei a que acabara de comprar: um fio dental com um lacinho de cetim em ponto estratégico. Quando meu marido chegou do trabalho, abriu a porta e me encontrou em pé no meio do quarto fazendo caras e bocas. Olhou-me de cima abaixo e disse: "E aí, Batman, o que temos para o jantar?"

— Os médicos disseram que ele voltará a andar em um mês.

163
136
27

Joãozinho vivia no sertão e na cidadezinha que ele vivia, não tinha nenhum médico. Sem contar que ele era a única criança que "estudava"... O filho da sua vizinha estava muito doente, mas não tinha como levá-lo ao médico. Então consultou o "estudioso" Joãozinho.

— Dona Maria, seu filhinho tá com solitária!

— Nossa, menino! Será que meu bebê vai morrer?

— Não, se ele vir aqui fizer um tratamento! Todo dia, traga leite e biscoito! Durante quinze dias! Assim vou matar a maldita!

No primeiro dia, Joãozinho pegou o leite e derramou no bumbum no bebê. Depois, colocou exatamente "lá", os biscoitinhos. E foi repetindo isso até que no décimo quinto dia, disse:

— Dona Maria, amanhã traga apenas o leite e um pedaço de madeira enoooorme!

A mulher não entendeu, mas obedeceu. Chegando lá, Joãozinho derramou como de costume o leite no bumbum da criança. Então esperou um pouco.

— Sim, e agora, para que serve o pedaço de pau?

— Vou usar já já, Dona Maria, para matar a desgraçada!

— Êpa, vai fazer o que esse pedaço de pau?

No mesmo instante, a solitária cansada de esperar,colocou-se pela metade para fora:

— E aí, galera? Beleza, meus chapas? Hoje não tem biscoitinhos não?

141
54
87

No consultório médico a mulher começa a se queixar:

— Doutor, o meu marido está sofrendo de ejaculação precoce! — reclama a mulher.

E o médico, virando-se para o marido:

— E então? O que o senhor tem a dizer?

— É mentira, doutor! Quem está sofrendo é ela!

34
-5
39

No hospital, o médico chama aquela enfermeira gostosérrima pra dentro de uma sala, fecha a porta e começa...

— De quem é essa orelhinha?

— Não sei, doutor... — responde a enfermeira.

— De quem é esse narizinho?

— Não sei não, doutor...

— De quem é essa boquinha?

— Não sei, doutorzinho...

— Pois amanhã de manhã quero ver tudo isso muito bem arrumadinho. Nunca vi necrotério infantil tão bagunçado que nem este aqui!

105
52
53

O sujeito chega ao médico reclamando de fortes dores de cabeça.

— O senhor bebe? — pergunta-lhe o médico.

— Nunca pus uma gota de álcool na boca, doutor!

— O senhor fuma?

— Também nunca fumei. Odeio o cheiro de cigarro!

— Alguma extravagância sexual?

— Sexo? Nem brinca doutor, sou evangélico. Sexo, só para procriação!

— E a alimentação?

— Só como verduras e frutas.

— Bem, então só pode ser uma coisa: vai ver que a tua auréola está muito apertada!

15
-4
19

O sujeito, riquíssimo, sofria de uma terrível dor de cabeça até que um dia foi procurar um médico:

— O senhor vai ter de arrancar os testículos — sentenciou o médico.

— Você está maluco! — protestou ele.

Dias depois foi procurar outro médico e ouviu o mesmo conselho.

— O senhor vai ter de arrancar os testículos.

Então, resolveu procurar o melhor especialista que havia nos Estados Unidos.

— Sinto muito — fez o doutor, após um rápido exame. — Mas a dor só vai desaparecer se o senhor arrancar os dois testículos.

Desesperado com a dor que se tornava cada dia mais insuportável, ele resolveu se submeter à cirurgia recomendada pelo médico.

Assim que terminou a convalescença, para vencer a frustração, decidiu reformar todo o seu guarda-roupas e procurou o mais famoso costureiro em Paris.

— Pode ficar tranqüilo — disse o costureiro, em tom afetado. — Eu vou lhe fazer algumas roupas chiquérrimas. Você vai ficar lindo de morrer! Pode passar daqui a 15 dias que vai estar tudo prontinho!

— Você não vai tirar minhas medidas? — espantou-se o sujeito.

— Não é necessário! Só de olhar para esse seu corpo deslumbrante eu já sei o tamanho que você vai precisar.

— Duvido!

— Quer ver? Calça, 42, Paletó, 46, Camisa, número 3...

— Incrível... está certíssimo!

— Cuecas número 4!

— Epa! Aí você se equivocou, eu uso cuecas número 3.

— Tá querendo me enganar, é? Tem que ser número 4!

— Sempre usei número 3!

— Você pode até usar cuecas número 3, mas vai te apertar as bolas e te dar uma dor de cabeça terrível!

46
41
5

No meio da madrugada, toca a campainha do apartamento do médico. Ele se levanta e vê pelo olho mágico a cara de dor do seu vizinho, um rapaz recém-casado.

— Meu Deus, o que foi que aconteceu? — pergunta espantado o magarefe ao abrir a porta.

— Ah, doutor, eu ia com o maior cuidado e, tentando evitar uma criança, saltei fora e... cataprum... acho que quebrei o braço!

— Nossa, contra o que você bateu o carro?

— Não, doutor! Eu caí da cama!

11
-6
17

Cansado de ouvir as queixas da mulher, reclamando de dores na bexiga, o caipira resolve levá-la ao médico.

— A senhora urina com abundância? — pergunta o médico durante os exames.

A mulher, que não tinha a mínima idéia do significado do verbo urinar, permaneceu calada.

— A senhora urina com abundância? — repete o médico num tom um pouco mais alto.

A mulher permanece quieta.

— O que é que o doutor quer saber? — intervém o caipira.

— Eu quero saber se a sua mulher mija com abundância!

— Não, seu doutor! Me parece que é com a bucetância mesmo!

28
18
10

O caipira vai ao médico reclamando de dores no pênis.

— Quantas relações sexuais o senhor tem por semana? — pergunta o doutor, antes de examiná-lo.

— Assim de cabeça não sei contar não, seu doutô!

— Como não sabe contar?

— É que eu fugi da escola novinho! Só sei contar até dez!

— Dez? — perguntou incrédulo o doutor. — Então vou mudar a minha pergunta: quantas relações sexuais o senhor teve ontem?

— Agora facilitô! Ontem eu acordei de madrugada dei uma, de manhã, antes do café, dei outra; depois do café, mais uma; aí fui trabalhar no cafezal. Lá pelas dez horas a patroa foi me levar um lanchinho e...

— O senhor deu mais uma?

— Não, seu doutô! Aí eu dei duas! Depois, antes do almoço, dei outra, tirei um cochilo, dei outra, vortei pro cafezal. Quando deu de tarde, fui pra casa e dei mais uma antes do jantar... aí fui dormi porque já estava ficando cansado!

— Então o senhor deu sete?

— Se não esqueci nenhuma...

— Então taí o problema! O seu pênis está doendo porque você está fazendo sexo demais!

E o matuto:

— Ai, que alívio...

— Alívio? Por quê?

— Pensei que fosse as punhetas que eu toco quando tô no cafezal!

29
16
13