Piadas de Médicos

19
9
10

Estado Médico da Esposa

Chamado às pressas no meio da noite, o médico chega todo esbaforido na casa de um empresário, cuja esposa estava acamada.

— Com licença — diz ele, expulsando todo mundo do quarto. — Preciso ficar só, com a paciente!

Apreensivo o marido fica do lado de fora do quarto! Ouve alguns barulhos estranhos e depois de alguns minutos enfia a cabeça pela porta e pergunta ao marido:

— O senhor tem um alicate?

O marido vai buscar um alicate. A porta torna a se fechar. Mais barulho estranhos e alguns minutos depois, novamente a cabeça do médico aparece na soleira da porta:

— O senhor tem uma chave de fenda?

Espantado o marido vai buscar a chave de fenda. Passam-se mais alguns minutos:

— O senhor tem um serrote?

E o marido, desesperado:

— Serrote? O caso dela é tão grave assim?

— Ainda não sei — sentencia o médico. — Não consigo abrir a minha maleta!

13
-11
24

Médico Sem Tempo

Um homem entra esbaforido na emergência do hospital com uma faca enfiada na barriga. Encontra um médico e vai falando:

— Doutor, me acuda, doutor. Estou morrendo, doutor. Minha mulher enfiou essa faca na minha barriga, doutor.

— O senhor me desculpe, mas meu expediente já acabou e hoje eu não posso fazer hora extra.

— Doutor, eu vou morrer, doutor. Me ajude.

— Já disse que hoje, não. O senhor devia ter chegado mais cedo. Volte amanhã.

— Doutor, por favor, doutor. Se o senhor não tirar essa faca daí eu morro.

Impaciente com todo aquele transtorno, o médico arranca a faca da barriga, espeta ela no olho do homem e diz apontando para uma porta:

— Ali naquela sala tem um oculista de plantão. Vá lá falar com ele.

12
-5
17

Apaixonada Pelo Cavalo

— Doutor, estou apaixonada por meu cavalo — diz ao psiquiatra a jovem amazona.

— Problema nenhum — tranquiliza o médico. — É muito comum as pessoas se afeiçoarem a animais. Eu e minha mulher, por exemplo, adoramos nossa cadelinha poodle...

— O senhor não entendeu, doutor, eu me sinto atraída fisicamente por ele.

— Hum, vejamos — raciocina o médico. — E se você o trocasse por uma égua?

— Quê? O senhor está pensando que eu sou uma desviada sexual?

100
69
31

Ajuda do Louco

Um caminhão que vem transportando os loucos de um hospício para o outro vira na pista. O médico que vinha na cabine com o motorista sobrevive, vê vários loucos feridos e se desespera, chama pelo motorista, mas o motorista estava morto. Então vê um louco saindo dos destroços e chama-o para ajuda-lo a separar os mortos dos vivos. O médico explica para ele:

— Quando eu disser que está morto você joga no buraco, se eu disser que está vivo você deita ele no chão.

Então o médico começa a examinar os loucos... Após analisar o primeiro ele diz:

— Morto!

O louco joga no buraco. O médico analisa o próximo e diz:

— Vivo!

E o louco deita o outro no chão, até que o médico diz novamente:

— Morto!

O louco pega o corpo nos braços e o leva para jogar no buraco, quando escuta um gemido do louco que está em seus braços:

— Me ajude, me ajude, eu ainda estou vivo...

E o louco responde:

— Deixa de conversa! Quer saber mais que o doutor?

23
16
7

Paciente Muito Nervoso

Antes da operação, o paciente, muito nervoso, faz uma bateria de perguntas ao médico:

— Doutor, depois da cirurgia eu vou poder desenhar?

— Claro que sim! Em poucos dias o senhor estará trabalhando normalmente!

Então o paciente abraça o médico e começa a beijá-lo.

— O que é isso, rapaz? — estranha o doutor.

— O senhor é um anjo! — diz o paciente, empolgado — Vai me ensinar a desenhar e ainda por cima vai me arrumar um emprego!

43
36
7

Um Bola de Sorvete

É um casal de 80 anos, que está começando a ter problemas de memória. Eles vão ao médico para ser examinados. O médico faz um check-up e diz aos velhinhos que não há nada de errado com eles, mas que seria bom ter um caderninho para anotar as coisas.

À noite, quando estão os dois assistindo TV, o velhinho levanta e a mulher pergunta:

— Onde você vai?

— À cozinha — responde ele.

— Você não quer me trazer uma bola de sorvete? — pede ela.

— Lógico! — responde o marido solícito.

— Você não acha que seria bom escrever isso no caderno? — pergunta ela.

— Ah, vamos! Qualé? Ironiza o velhinho — Eu vou me lembrar disso!

Então ela acrescenta:

— Então coloca calda de morango por cima. Mas escreve para não ter perigo de esquecer.

— Eu lembro disso, você quer uma bola de sorvete com calda de morango.

— Ah! Aproveita e coloca um pouco de chantili em cima! — pede a velha — Mas lembre-se do que o médico nos disse... escreva isso no caderno!

Irritado, o velhinho exclama:

— Eu já disse que vou me lembrar!

Em seguida vai para a cozinha. Depois de uns vinte minutos, ele volta com um prato com uma omelete. A mulher olha para o prato e diz:

— Eu não disse que você iria esquecer? Cadê a torrada?

23
16
7

Barriga do Padre

A barriga do padre de Pelotas crescia cada vez mais. Descartada a hipótese de cirrose, os médicos concluíram que seria melhor realizar uma cirurgia exploratória, já que era preciso fazer alguma coisa.

A cirurgia mostrou que era um mero acúmulo de líquidos e gases, e o problema foi sanado. Porém, alguns estudantes de medicina resolveram aprontar e, quando o padre estava acordando da recuperação pós-cirúrgica, colocaram um bebê em seus braços. O padre, espantado, perguntou o que era aquilo e os rapazes disseram que era o que havia saído de sua barriga...

Passado o espanto e tomado de intensa ternura, o padre abraçou a criança e não quis mais se separar dela. Como se tratava do filho de uma mãe solteira que morrera durante o parto, os rapazes se empenharam para que o padre ficasse com a criança. Os anos se passaram e a criança se transformou num homem, que se formou em medicina.

Um dia, o padre já velhinho e sentindo que estava chegando sua hora de partir chamou o rapaz e disse:

— Meu filho! Tenho o maior segredo do mundo pra te contar, mas tenho medo que fique chocado.

O rapaz, que já havia intuído do que se tratava, disse, compreensivo:

— Já sei. Adivinhei há muito tempo. O senhor vai me dizer que é meu pai, né?

— Não, sou tua mãe! Teu pai é o bispo de Passo Fundo!

106
79
27

Japonês no Urologista

— A senhora jura que não vai rir? — perguntou o paciente japonês à médica urologista.

— Claro que sim! — respondeu exaltada. — Sou uma profissional da saúde. Existe um código de ética em questão. Em mais de 20 anos de profissão nunca ri de nenhum paciente!

— Tudo bem, então, — disse o paciente.

E deixou cair as calças, revelando o menor órgão sexual masculino que ela havia visto na vida. Considerados o comprimento e o diâmetro, não era maior do que uma bateria pilha palito. Incapaz de controlar-se, a médica começou a dar risadinhas e não conseguia mais segurar o ataque de riso. Poucos minutos depois ela conseguiu recuperar a compostura.

— Sinto muitíssimo, — disse ela. — Não sei o que aconteceu comigo. Dou minha palavra de honra de médica e de dama que isso nunca mais acontecerá. Agora diga-me, qual é o problema?

— Tá inchado!

28
23
5

Viagra no Lanche

Uma velhinha vai ao médico pedindo para que ele ajude a revigorar o apetite sexual de seu marido para reviver os bons e velhos tempos.

— Que tal se tentarmos o Viagra? — arrisca o médico.

— Ah, não tem jeito, doutor... Meu marido não toma nem Aspirina para dor de cabeça.

— Não tem problema! — retruca ele — Misture o Viagra no lanche que ele mais gosta, sem que ele perceba e volte daqui a uma semana para me contar como foi.

Na semana seguinte, a velhinha volta ao médico dizendo:

— Ai, doutor! Foi horrível! Foi horrível!

— Mas o que aconteceu? — pergunta ele, assustado — A senhora seguiu minhas instruções?

— Sim, doutor... Fiz tudo como o senhor disse, misturei o Viagra no lanche sem que ele soubesse... Mas, doutor, o efeito desse negócio é muito rápido! No meio do lanche ele já levantou da cadeira, me jogou em cima da mesa, tirou minha roupa e transou comigo loucamente... Mas foi horrível, doutor... Horrível...

— Mas por que foi horrível? — insiste o médico — O sexo não foi bom?

— Foi o melhor sexo que já tivemos em 35 anos, doutor...

— Então qual o problema, minha senhora?

— Ai, doutor... Depois dessa acho que nunca mais vou ter cara pra entrar no McDonald's!

47
41
6

Viagra Líquido

Uma mulher, do alto dos seus bem conservados 50 anos, foi ao ginecologista com uma reclamação muito comum entre as mulheres dessa idade:

— Doutor, meu marido, depois de quase vinte anos de casamento, perdeu o interesse por min e não me procura mais. O que eu faço?

— Está vendo este frasco? É um remédio experimental, muito mais concentrado que o Viagra e, que por vir na forma líquida, é mais prático para ser administrado sem o conhecimento da pessoa. Agora faça o seguinte: pingue apenas uma gota no jantar do seu marido e você verá resultados em breve. Mas é importante: apenas uma gota!

— Volte daqui a duas semanas para me informar os resultados.

A mulher foi toda esperançosa para sua casa e, naquela mesma noite, colocou uma gotinha no prato de seu marido. Milagre! Aquela noite ele a procurou e transaram como coelhos!

Na segunda noite, excitada demais para se conter, resolveu experimentar duas gotinhas... E foi recompensada com a melhor noite de sua vida toda!

Na terceira noite, virou o conteúdo todo do frasco na comida...

Quinze dias depois, como não tinha notícias de sua paciente, o médico resolveu ligar para sua casa. Quem atendeu foi o filhinho:

— Bom dia, garoto. Sou o médico de sua mamãe, estou ligando para saber se está tudo bem aí na sua casa.

O menino respondeu:

— Bem não está não. A mamãe morreu com um sorriso estranho na cara, minha irmã fugiu, a empregada está grávida e o papai está no quintal há 2 horas falando: "Vem Totó, vem..."

17
14
3

Receita de Viagra

Aquele septuagenário estava vestindo o casaco quando sua esposa perguntou:

— Onde você vai?

— Vou ao médico, respondeu ele.

E ela:

— Por que? Você está doente?.

— Não. Vou ver se ele me receita esse tal de Viagra.

A esposa levantou-se da cadeira de balanço e tratou de vestir o casaco.

Ele perguntou:

— Onde você vai?

— Ver o médico também.

— Por que?

— Porque se você vai começar a usar essa coisa velha e enferrujada acho melhor tomar uma antitetânica.

443
374
69

O Choro do Bebê

O médico após ter feito o parto, virou o bebê de cabeça para baixo, segurando-o pelos pezinhos e deu-lhe um tapinha na bunda!

— Chora!

O nenê permaneceu em silêncio.

Outro tapinha um pouco mais forte:

— Chora!

Silêncio.

Outro tapinha ainda mais forte:

— Chora!

Nada, o menino não dava um gemido sequer.

— Ah, é? Você não quer chorar? — exclamou o médico, caminhando até a janela. — Chora logo senão eu te jogo pela janela!

E, como o nenê não chorou, jogou-o pela janela.

Vendo aquilo, a mãe desesperada começou a gritar:

— Meu filho! Meu filho! O que você fez com o meu filho?

E o médico:

— É brincadeira! Ele já nasceu morto!

15
-6
21

Sonhando Com Ópera

Doutor, o senhor tem de me ajudar — diz a mulher, desesperada, ao psiquiatra. — Meu marido pensa que está numa ópera. Canta dia e noite, a plenos pulmões, e já está me deixando louca!

— Traga-o aqui amanhã, no primeiro horário — responde o médico.

Um semana depois, a mulher liga para o consultório:

— Doutor, não sei que milagre o senhor fez, mas o Emílio parou de cantar como antes, canta apenas vez por outra. O senhor conseguiu curar aquela sua ilusão?

— Não exatamente, minha senhora — diz, solene, o psiquiatra. — Eu apenas lhe transferi para um papel secundário na ópera.

24
17
7

Conhecendo o Asilo

Um homem levou o seu pai velhinho para um asilo de idosos. Lá chegando, sentou o velhinho num sofá, na sala de espera, e foi à recepção falar com os atendentes.

O velhinho começou a pender, vagarosamente, para a esquerda. Um médico passou por perto e disse:

— Deixe-me ajudá-lo.

O médico empilhou vários travesseiros no lado esquerdo do velhinho para ajudá-lo a manter-se ereto.

O velhinho, então, começou a pender, vagarosamente, para a direita. Um funcionário percebeu e empilhou mais diversos travesseiros no lado direito ele.

O velhinho, daí, começou a pender para frente. Então, passou por ali uma enfermeira que empilhou vários travesseiros na frente dele. A essa altura, o filho retorna:

— E então, pai, este parece um lugar agradável, não?

O velhinho respondeu:

— Parece que sim. Todos são muito atenciosos... Só não deixam a gente peidar!

19
5
14

Pênis Laranja

O cara vai ao médico.

— Doutor, eu estou com um problema...

— Pode dizer meu senhor, sinta-se à vontade.

— Sabe o que é doutor?

— Pode dizer amigo, ficará entre nós.

— É que eu estou com o pênis laranja.

— Deve haver algum engano, amigo. Pênis laranja? Eu nunca li isso em nenhum livro.

— Mas é verdade doutor.

— Mostre-me por favor.

Aí o cara abaixa a calça e mostra o membro laranja.

— Mas não é que é laranja mesmo? - disse o médico assustadíssimo - Me diga, você utiliza algum medicamento?

— Não, saúde perfeita.

— E drogas?

— Também não, doutor. Sou esportista.

— Me conte, como é seu relacionamento com sua esposa?

— Normal. Eu respeito minha esposa, só o básico.

— E quanto à sua intimidade, quando você fica sozinho.

— Normal. Eu alugo um filme, coloco no vídeo, assisto comendo um pacote de Doritos...

17
14
3

Comportamento do Marido

A velha chama os filhos para reclamar do comportamento anormal do marido. A coitada desabafa:

— Ultimamente, ele vem me procurando de manhã, à tarde e à noite! Eu já não aguento mais e queria
que vocês tomassem uma providência, urgentemente.

Prontamente os filhos foram conversar com o pai e ouviram dele a seguinte justificativa:

— Meu procedimento mudou conforme orientação médica! — e mostrou uma receita do médico.

Os filhos leram a receita e disseram:

— Pai, o senhor está interpretando mal! O doutor recomendou que o senhor comesse "AVEIA" de manhã, à tarde e à noite...

15
5
10

Cabelos Ruivos

Depois do bebê nascer, o pai, aflito, foi falar com o obstetra:

— Senhor doutor, estou muito preocupado porque a minha filha nasceu com cabelos ruivos. Não pode ser minha!

— Que disparate! — disse o médico.

— Mesmo que tu a tua mulher ambos tiverem cabelo preto, podem ter cabelos ruivos nos genes da vossa família.

— Não é possível! — insistiu o pai.

— Ambas as nossas famílias têm tido cabelos pretos há muitas gerações.

— Bem, — disse o médico — tenho de perguntar... Com que frequência tu e a tua mulher praticam sexo?

O homem, envergonhado, respondeu:

— Este ano tenho andado cansado de trabalhar muito. Só fizemos amor uma ou duas vezes nos últimos meses.

— Então aí está! — respondeu o médico confiante — É ferrugem!

12
8
4

Recomendações do Médico

O sujeito vai a médico... exames de rotina. O médico, depois de ver a história clínica do paciente:

— Fuma?

— Pouco.

— Tem que parar de fumar.

— Bebe?

— Pouco.

— Tem que parar de beber.

— Faz sexo?

— Pouco.

— Tem que fazer muito, mas muito sexo, isto irá ajudá-lo!

Sujeito vai para casa, conta a mulher e, imediatamente, vai pro banho. A mulher, se enche de graça e esperança, se enfeita, se perfuma, põe roupa especial e... fica na espera. O sujeito sai do banho, começa a se arrumar, se vestir, se perfumar e mulher, surpresa, pergunta:

— Aonde é que você pensa que vai?

— Não ouviu e entendeu o que o médico me disse?

— Sim, mas, aqui estou eu prontinha...

— Ah, mulher! Lá vem você com sua mania de remédio caseiro!

30
24
6

Família Em Boa Forma

O Seu Antônio, aproveitando a viagem a Belzonte, foi ao médico fazer um 'xecápi'. Pergunta ao médico:

— Seu Antônio, o senhor está em muito boa forma para 40 anos.

— E eu disse ter 40 anos?

— Quantos anos o senhor tem?

— Fiz 57 em maio que passou.

— Puxa! E quantos anos tinha seu pai quando morreu?

— E eu disse que meu pai morreu?

— Oh, desculpe! Quantos anos tem seu pai?

— O véio tem 81.

— 81? Que bom! E quantos anos tinha seu avô quando morreu?

— E eu disse que ele morreu?

— Sinto muito. E quantos anos ele tem?

— 103, e anda de bicicleta até hoje.

— Fico feliz em saber. E seu bisavô? Morreu de quê?

— E eu disse que ele tinha morrido? Ele está com 124 e vai casar na semana que vem.

— Agora já é demais! — Diz o médico revoltado.

— Por que um homem de 124 anos iria querer casar?

— E eu disse que ele queria se casar? Queria nada, ele engravidou a moça...

17
7
10

Informações Sobre Pacientes

— Bom dia, é da recepção? Eu gostaria de falar com alguém que me desse informações sobre os pacientes. Queria saber se certa pessoa está melhor ou piorou...

— Qual e o nome do paciente?

— Chama-se Celso e está no quarto 302.

— Um momentinho, vou transferir a ligação para o setor de enfermagem...

— Bom dia, sou a enfermeira Lourdes. O que deseja?

— Gostaria de saber as condições clínicas do paciente Celso do quarto 302, por favor!

— Um minuto, vou localizar o médico de plantão.

— Aqui é o Dr. Carlos plantonista. Em que posso ajudar?

— Olá, doutor. Precisaria que alguém me informasse sobre a saúde do Celso que está internado há três semanas no quarto 302.

— Ok, meu senhor, vou consultar o prontuário da paciente... Um instante só!

— Hummm, aqui está: ele se alimentou bem hoje, a pressão arterial e pulso estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e vai ser retirado do monitor cardíaco até amanhã. Continuando bem, o médico responsável assinará alta em três dias.

— Ahhhh, Graças a Deus! São notícias maravilhosas! Que alegria!

— Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família!?

— Não, sou o próprio Celso, telefonando aqui do 302. É que todo mundo entra e sai do quarto e ninguém me diz droga nenhuma ... só queria saber!

11
6
5

Dependência do Charuto

O sujeito vai ao médico para ver se resolve de vez este problema de dependência que ele tem com charutos. O médico, adepto dos "métodos antigos", lhe aconselha a técnica da aversão:

— Já que o senhor adora um charuto — diz ele — vou fazer com que tenha nojo dele. Toda noite, antes de ir deitar, o senhor vai pegar um de seus charutos e vai enfiá-lo na bunda. Em seguida, vai colocar o charuto de novo na caixa, e vai agitá-la de modo que não consiga distinguir o charuto dos demais. É vidente que, deste modo, o senhor não ousará mais fumar nenhum, de medo de estar pegando o charuto errado!

— Obrigado pelo conselho, doutor. Vou tentar hoje mesmo.

E é o que ele faz. Mas três semanas depois o paciente volta ao consultório.

— O quê? O senhor outra vez? Não me diga que meu conselho não funcionou? Este método sempre funcionou, mesmo nos piores casos de dependência.

— Bem, de fato funcionou. Pelo menos, consegui transferir a dependência... — hesita o paciente.

— O que o senhor quer dizer? — pergunta o médico.

— Pois bem, eu não fumo mais charutos. Mas agora eu não consigo ir deitar sem antes enfiar um charuto na bunda!

29
20
9

Cortar o Rabo

O camarada leva o cachorro ao veterinário e pede para cortar o rabo do bicho. O médico corta e o sujeito reclama que ainda ficou um pedacinho. O veterinário tenta argumentar que se cortar tudo fica muito feio, mas não adianta, o cara é inflexível. Quer que corte tudo, tudinho. O doutor acaba concordando, mas pergunta:

— Posso ao menos saber o motivo de tanta implicância com o rabo do pobrezinho?

— Não é implicância não, doutor! Acontece que minha sogra vai passar uns dias conosco, e eu não quero ver nenhuma manifestação de alegria lá em casa!

13
4
9

Memória Melhorando

Alencar era um velhinho legal, simpático e boa pinta. Um dia ele vai ao médico fazer sua consulta mensal. Chegando lá, ele diz:

— Doutor, aquele remédio que o senhor passou é ótimo! Eu me lembro de várias coisas do meu antigo trabalho. É uma experiência incrível!

— É mesmo? Saiba que fico muito feliz com isso. Mas o que o senhor fazia?

— Ah, doutor, eu era chefe de departamento, trabalhei 30 anos numa multinacional, uma empresa que tinha mais de cinco mil funcionários. Viu como minha memória está cada vez melhor?

— Está sim, parabéns! Logo logo o senhor estará 100%.

E o velhinho, como se mudasse de assunto:

— Pois é... mas afinal de contas, o senhor trabalha em que?

35
27
8

Quatro Médicos

Toca o telefone e o médico reconhece a voz de um colega do outro lado da linha:

— Precisamos de mais um jogador de sinuca para completar o quadro.

— Estou a caminho.

Enquanto ele veste uma blusa, sua mulher pergunta:

— O caso é grave?

— É sim, responde ele, muito sério — Tão grave que já há três outros médicos no local.