Os Vigaristas

O Cantor e a Velhinha

130
-118
248

Um cantor sertanejo em fase inicial de carreira, estava com seu Fusquinha 66 por uma estradinha. Poeira e buraco a mil, até que de repente... Catapimba! Quebrou a suspensão do poizé...

- Oh, meu Senhor... que maçada!

Já noite escura e não passa uma vivalma por ali... Quase desacorçoado o futuro cantor, coçando a cabeça, viu a uma certa distancia, uma pequena luz acesa.. Fechou o poizé e dirigiu-se para lá... Amanhã eu vejo o que fazer com o poizé... Chegou à casa d'onde ele viu a luz... Uma velhinha dos seus 70, o recebeu sorrindo com aquela boquinha enrrugada, zóinho manso, voz tênue mas delicada...

- Ôi moço, qui que eu posso fazê pô ce fio?

Contou pra véinha o ocorrido e só pediu pousada, que graciosamente foi atendido... Mais noitinha uma canjinha de galinha e foram dormir... Havia uma cama só.. O rapaz educadamente deitou bem no cantinho , para nem relar na véia... Noite a dentro a véia começou a roçar no rapaz e tentando abraça-lo e êle, delicadamente, se esquivando... Amanheceu o dia, lindo, radiante, cheirinho de café novo, a galinhada cacarejando no quintal ciscando e vários galos entre elas... O rapaz, tomando um cafezinho, comentou...

- Ô vó! Com tantos galos no meio das galinhas não sai briga entre eles?

- Chiiiii fio... comentou a véinha... Galo mesmo é só aquele carijozão ali porque o resto é tudo cantor, viu?