Os Vigaristas

Pedidos para os Índios

64
23
41

Três exploradores, um americano, um francês e um português, se perdem na floresta amazônica. Depois de muitos dias são capturados por uma feroz tribo indígena.

Amarrados num tronco no meio da aldeia, ouvem assombrados a proposta do chefe:

— Cada um pode fazer qualquer pedido. Se chefe não realizar, chefe liberta prisioneiro. Mas se chefe satisfizer o pedido, chefe manda guerreiros arrancarem a pele do prisioneiro para fazer canoa.

Apontando para o americano, pergunta:

— O que prisioneiro quer?

— Eu quero que você me traga aqui a estátua da liberdade.

Com a sua lança mágica, o chefe faz aparecer a estátua da liberdade no centro da aldeia e ordena aos guerreiros que arranquem a pelo do americano e façam uma canoa.

— Agora, chegou a vez do francês. Qual o seu pedido? — pergunta o chefe.

— Eu quero a torre Eiffel e as garotas do Moulin Rouge dançando cancan.

A lança mágica entra em ação novamente e faz realidade o pedido do francês. O chefe ordena em seguida que lhe arranquem a pele e que se faça uma canoa.

Finalmente, é a vez do português, que pede um garfo. Um simples garfo...

Diante de pedido tão simples, o chefe imediatamente entrega o garfo ao português. O nosso amigo de além mar, espetando o garfo em todo o seu corpo, gritava:

— Índios filhos da puta, vão fazer canoa de mim lá na puta que o pariu!