Piadas de Português

20
11
9

Dando Ré

Naquela ladeira enorme estava sentado na calçada um garoto quando sobe um caminhão de ré. O garoto, curioso pergunta pra motorista, que por acaso é português, o porquê do veículo está subindo desta forma e o lusitano responde:

— É que eu tenho que fazer uma entrega lá em cima deste morro e me disseram que não tem espaço pra virar quando retornar.

Idéia inteligente, pensa o garoto.

Meia hora depois desce o caminhão, novamente de ré. Novamente o garoto pergunta pro motorista:

— Ué? O que aconteceu?

— Pois é, garoto, me disseram que não dava pra virar, mas não é que eu consegui?

34
22
12

Morte do Parente

Um português passeava pela cidade e de repente se deparou com uma enorme multidão. Aglomerados e todos com expressão no rosto que de algo ruim havia acontecido e ele muito curioso tentava saber o acontecido, mas ninguém lhe dava atenção. Foi quando ele resolveu acabar com aquela agonia, e partiu pra cima da multidão, gritando desesperado e chorando muito.

— Com licença que é meu parente, com licença que é meu parente!

Chegando no local ele deparou com um burro morto.

46
36
10

Os Pedidos

Estavam um português, um italiano, e um francês no deserto. Depois de muito andar, eles encontram uma lâmpada mágica, e o gênio lhes concedeu 3 pedidos, sendo um para cada um.

O primeiro foi o italiano:

— Eu quero ir de volta para a minha terra.

Puft, foi ele para a Itália.

O segundo o francês:

— Eu quero ir de volta para a minha terra.

Puft, foi ele para a França.

E por último, o português:

— Ah, mas eu estou me sentindo tão sozinho... pois traga eles de volta.

21
-7
28

Aula de Direção

Depois dos exames escritos foi então o português para sua primeira aula prática de direção:

— Muito bem senhor Manoel, eu já expliquei para o senhor todos os comandos do automóvel. Pode começar a conduzir o veículo.

O português saiu devagarzinho no inicio, depois foi pegando confiança e até que estava indo bem.

— Senhor Manoel, cuidado ai com o pedestre!

— Oopa! — e desvia.

— Senhor Manoel, o cãozinho!

— Oopa! — e desvia novamente.

— Senhor Manoel, o buraco!

— Oopa! — mais uma vez desviando.

— Senhor Manoel, cuidado com a ponte!

— Oopa! — e, é claro... desvia.

31
20
11

Serviço Bem Feito

Depois de um tempo desempregado, Manoel consegui emprego na companhia de energia elétrica. Seu serviço não era difícil: Fazia um buraco na calçada e "plantava" os postes de iluminação. No primeiro dia, todos os funcionários em fila para a avaliação com o chefe:

— Você, quantos postes colocou?

— Quinze, senhor!

— Muito bem, e você?

— Dezoito postes, senhor!

— Ótimo! E você, Manoel quantos postes colocou?

— Três postes, chefe!

— Três? Você não fica envergonhado? Um colega seu colocou quinze postes, outro dezoito e você só três?

— É, mas eu fui o único que fez o serviço direito! Os postes que eles colocaram ficaram quase todos pra fora!

37
25
12

Barbado

Sempre que um bebum ia fazer a barba na barbearia do Manoel ele contava uma piada em que o português se dava mal e como Manuel era português não gostava disso, mas certa vez quando ele foi fazer a sua barba, Manoel ameaçou de cortar a sua cabeça se ele contasse uma historia em que o português se dava mal.

E o bebum começou a contar uma piada:

— Um brasileiro e um português estavam fugindo da polícia quando entraram em um beco e encontraram dois barris enquanto o brasileiro entrou no de merda o português entrou no de mel, Manoel gostou e terminou de fazer a barba do bebum depois que tinha terminado falou:

— Putz! O brasileiro se deu mal, mais o que aconteceu no fim?

O bebum completou:

— Como a polícia não podia reconhece-los mandou que um lambesse o outro até ficarem limpos.

23
11
12

Medindo a Escada

O português estava subindo e descendo uma escada de madeira apoiada na parede. Ele tinha uma fita métrica na mão e sempre que ia tentar medir a escada a fita caia. Ele apoiava a fita na parte de baixo da escada, subia e a fita saia do lugar. O brasileiro, vendo o martírio do português então pergunta:

— Ô portuga! Por que você não deita essa escada no chão; ai você vai conseguir medi-la com mais facilidade !

E o português:

— Ô raios! É que eu não quero medir o comprimento da escada, e sim sua altura!

36
19
17

As Hemorróidas

Dois portugueses conversam:

— Ó Manuel! Como vão tuas hemorroidas?

— Estão bem melhores!

— Ah é? E como conseguistes isso?

— Eu tenho um enfermeiro que cuida muito bem de mim! É o seguinte: primeiro ele me põe de quatro, vem por trás e coloca a mão direita no meu ombro direito.

— E depois?

— Depois, coloca a mão esquerda no meu ombro esquerdo e pra arrematar, me faz uma massagem no rabo, introduzindo o dedo!

— Introduzindo o dedo de qual mão, Manuel?

— Ó, raios! Eu não tinha pensado nisso!

132
118
14

Canibais

Um dia um japonês um brasileiro e um português estavam perdidos na floresta e foram encontrados por canibais, e o rei disse:

— Nós não vamos comer vocês se trouxerem uma fruta.

E os três foram pela floresta atrás de uma, chegou o japonês com uma maçã.

O rei disse:

— Eu vou enfiar a fruta na sua bunda, e se você gritar nós cortamos sua cabeça.

Ele enfiou e o japonês gritou, cortaram a cabeça e ele foi pro céu.

Aí o brasileiro chegou com uma cereja, enfiaram na bunda dele e ele deu risada, cortaram a cabeça e ele foi pro céu.

O japonês curioso perguntou:

— O brasileiro, por que você deu risada em vez de gritar?

— É porque eu vi o português chegando todo feliz com uma melancia!

38
17
21

Extintor de Incêndio

Em Lisboa, após um incêndio no pequeno prédio, os bombeiros, verificando os destroços, encontram apenas um morto. E justamente o avô do Manuel, que estava de cabeça para baixo, com o dedo indicador apontando para um dos cantos do ambiente. Ao seu lado, um extintor de incêndio, com a seguinte instrução:

Em caso de incêndio, vire de cabeça para baixo e aponte para a chama.

81
69
12

Maquina de Linguiça

Um empresário português bilionário, inventor de uma máquina totalmente automática na qual se colocava um burro vivo por uma abertura e no final do processo saiam caixas de linguiça prontas para serem vendidas, resolveu mostrar a fabrica por herdeiro.

Depois de mostrar todo o funcionamento do empreendimento disse ao filho:

— Pois é meu filho, isto será tudo teu, um dia!

O rapazola fascinado com o que viu, perguntou ao papai:

— Meu querido pai, se no lugar de eu colocar um burro naquela entrada, eu colocar caixas de linguiças, lá no final vai sair um burro?

O pai pensou alguns instantes e respondeu:

— A única máquina que eu conheço que se enfiando uma linguiça depois sai um burro é a tua mãe!

51
36
15

Cardápio Maldito

Estava o português o italiano e o brasileiro no alto de um edifício em construção e na hora do almoço eles se sentaram na sacada do alto do edifício. E o brasileiro diz:

— Se minha mulher colocou novamente feijoada na minha marmita eu juro que eu pulo daqui de cima.

Ele abriu a marmita e era feijoada, e ele pulou. Então falou o italiano:

— Se minha mulher colocou macarronada na minha marmita eu também vou pular deste edifício.

E quando abriu a marmita era macarronada e então ele também pulou. O português já coçando a cabeça também disse:

— Se eu abrir esta marmita e for novamente bacalhoada eu também pularei daqui do alto.

Quando abriu bacalhoada e ele também pulou. No velório a mulher do brasileiro diz:

— Era só ele ter dito que eu trocava o cardápio mas não precisava ter se matado.

E a mulher do italiano diz a mesma coisa.

Então Maria a viúva do Manoel, visivelmente confusa diz:

— Eu não sei por que ele cometeu tal ato, se era ele mesmo que fazia sua marmita!

74
41
33

O Português e o Leproso

Um português foi preso numa cela em frente à de um leproso. Dia após dia, ele observava o leproso cuidando de suas feridas. Até que certa vez, caiu um dedo do leproso. Este o pegou e o atirou pela janela. Uma semana depois, caiu outro dedo e o leproso atirou-o pela janela. Algum tempo depois, caiu uma orelha, o leproso atirou-a pela janela. Uma semana depois, caiu o pé, o leproso atirou-o pela janela. Aí, o português não agüentou mais e pediu uma audiência com o diretor.

— Olha, senhor diretor, eu não quero ser chamado de dedo duro, mas o gajo que está na cela em frente a minha está fugindo aos pouquinhos...

53
29
24

Português na Aeronáutica

Depois de muitas tentativas, Manoel finalmente consegue entrar para a Aeronáutica Lusitana, na divisão de pára-quedismo. Logo na primeira semana ele participa de uma aula 100% prática e o instrutor dá as últimas recomendações:

— Nós estamos a dois mil metros de altura e o seu equipamento foi totalmente checado, Manoel. Quando você saltar por aquela porta, puxe a primeira cordinha e o pára-quedas se abrirá. Se isso não acontecer, o que é pouco provável, puxe a segunda cordinha. Se, ainda assim, o pára-quedas não se abrir, o que é praticamente impossível, puxe a terceira cordinha e ele se abrirá. Lá embaixo, haverá um jipe à sua espera, que o levará de volta ao quartel. Entendido?

Manoel faz sinal de positivo e salta. Rapidamente ele puxa a primeira cordinha mas o pára-quedas não se abre. Então ele puxa a segunda e nada. Finalmente, ele puxa a terceira cordinha e, mais uma vez, o equipamento falha. Então ele começa a ficar preocupado:

— Ai, que azar! Agora só falta o jipe não estar lá embaixo...

17
-21
38

Roubo ao Banco

Dois portugueses, um chamado Manuel e outro Joaquim resolveram roubar um banco. No dia do assalto, cada um pegou um saco e foi pra um lado. Depois de 5 anos os dois se encontraram:

— Como vai Joaquim, a quanto tempo, você ainda tem dinheiro?

— Sim! E você?

— Só tenho notas promissórias que só vou terminar de pagar o ano que vem.

56
31
25

Máquina de Refrigerante

O português chegou na máquina de refrigerantes, colocou uma ficha, e pegou a latinha. Depois botou outra ficha e pegou outra latinha. Depois botou outra ficha e pegou outra latinha. Meia hora nisso, começou a formar uma grande fila atrás dele. Até que um cara falou:

— Ô, seu Manoel, não vai sair daí?

E o seu Manoel:

— Não enquanto estiver ganhando!

39
23
16

Passeio de Charrete

Estavam a passear numa charrete a Rainha da Inglaterra e um famoso Conde português. De repente, um dos cavalos soltou um estrondoso peido e a Rainha, muito constrangida, apressou-se em se desculpar:

— Perdoe-me, senhor Conde! Mas assim é a natureza!

O Conde logo respondeu:

— Ora, não precisa ficar envergonhada! Eu até pensei que tivesse sido um dos cavalos!

33
20
13

Tropas Amigas

Em plena guerra, o soldado Joaquim chega esbaforido para o sargento e diz:

— Senhor, senhor... Tem um exército vindo em nossa direção!

— Um exército? — pergunta o sargento, espantado — Mas eles são amigos?

— Não sei, mas acho que sim... Eles estão todos juntos!

44
19
25

Errou o Número

O telefone toca na Loja de Calçados Coimbra e o gerente Manoel atende.

Uma voz pergunta:

— De onde fala?

— É da Loja de Calcados Coimbra.

— Como?

— Loja de Calcados Coimbra — repetiu Manoel.

— Ih, acho que errei o número.

— Não tem problema, é só trazer até aqui que nós trocamos.

32
17
15

Túmulos Patrocinados

Houve uma época em Portugal, em que se colocavam anúncios de produtos nos túmulos.

Lia-se num túmulo: "Aqui jaz Joaquim Pereira, com todos os seus cabelos, pois sempre usou o famoso xampu Sedoso Caril!"

Lia-se noutro túmulo: "Aqui jaz Maria Aparecida da Luz, com todos os seus dentes, pois sempre usou o famoso creme dental Brilhol!"

E outro tumulo: "Aqui jaz ninguém. Pois sua mãe sempre usou os famosos anticoncepcionais infalíveis!"

24
16
8

Veneno para Ratos

Maria já estava preocupada pois Joaquim estava demorando para retornar para o lar... Eis que chega o gajo e entrega um pacote para Maria:

— Joaquim, eu pedire pra tu comprare veneno para ratos e tu me trazere uma caixa de chá Mate Leão!?

— Opa Maria, se matare um leão também serve pra matare ratos!

24
14
10

Comendo Bosta

Manuel e Joaquim passeavam pela rua, quando encontraram uma bosta no chão:

- Manuel! Te dou 1.000 reais se tu comer essa bosta...

- Então está combinado, Joaquim...

Manuel foi lá e comeu a bosta, ganhando os 1.000 reais... Continuaram andando quando encontraram outra bosta no chão:

- Joaquim! Agora sou eu quem te dou os 1.000 reais se tu comer essa bosta...

- Então está beleza!!! O Joaquim se abaixou e comeu a bosta também...

MORAL: Os dois portugueses comeram bosta de graça...

21
11
10

Hora Certa

Locutor português na inauguração da Rádio Relógio de Lisboa:

— Bom dia, amigos ouvintes, estamos aqui nos primeiros momentos de nossa nova rádio purtuguesa. E vamos anunciar as horas pela primeira vez: atenção, são nove horas, zero minutos, zero segundos, perdão, um segundo, perdão, dois segundos, perdão, três segundos, perdão ...

E tá assim até hoje...

18
10
8

Sapatos Novos

O Manuel foi na segunda-feira a uma loja de sapatos. Escolheu, escolheu e acabou se decidindo por um par de sapatos de couro alemão. O vendedor foi logo advertindo-o:

— Sr, estes sapatos costumam apertar os pés nos 5 primeiros dias.

— Não tem problema, opa ... Eu só vou usá-los no domingo que vem...

27
10
17

Buraco do Rato

A empregada chamou o jardineiro:

— Seu Manoel, vem cá me fazer um favor.

— Pois não. Que é que voce quer que eu faça?

— O senhor pode me ajudar a botar remédio no buraco do rato?

— Olha, botar remédio eu ponho. Você segura o rato?