Os Vigaristas

Problema no Velório

152
48
104

O sujeito morreu e, como convém a todo defunto que se preza, ele foi posto dentro do recipiente adequado: o caixão. O velório já ia começar, quando o agente funerário chamou a viúva assim pra um lado e falou que havia um problema. E o agente explicou meio sem jeito:

— É o instrumento do doutor. Não tem jeito dele ficar abaixado. A gente abaixa ele, bota as flores em cima, mas daí a pouco ele levanta outra vez. O que é que a gente faz?

A viúva pensou um pouco e disse:

— Corta e enfia nele.

— O quê? — espantou-se o agente funerário.

— É isso que o senhor ouviu: corta e enfia nele.

O agente tentou argumentar, que isso não se faz, pediu a ela outra solução, mas não teve acordo:

— Corta e enfia nele — disse a viúva com muita determinação.

E assim foi feito. Quando o caixão foi levado para a sala do velório, a viúva chegou bem perto do defunto marido e viu uma lágrima escorrendo do olho dele. Ela chegou bem juntinho do ouvido dele e sussurrou:

— Dói não, né?