Os Vigaristas

Remédio Para Soluços

27
9
18

Evaldo entra na farmácia, pede um remédio para soluços e o balconista, prontamente, aplica-lhe um sonoro tapa no rosto.

— Epa! Que negócio é esse, pô? — Evaldo protesta, furioso.

— Bom... o senhor já ficou bom dos soluços, está vendo?

— Eu fiquei! Mas a minha mulher, aí fora no carro, não.