Único Hotel

24
12
12

Ao passar por uma cidade do interior, o viajante, extremamente cansado, resolve passar a noite por ali mesmo.

Vai bater no único hotel da cidade, um casebre vagabundo e malcheiroso, caindo aos pedaços.

— Eu quero um quarto! — pede ele.

— Pois não! Por favor, preencha esta ficha!

Ele vai preenchendo a ficha num gesto automático, quando vê um enorme percevejo andando pelo balcão em sua direção.

Imediatamente ele coloca a mão em cima da ficha e vocifera:

— De jeito nenhum! Eu não vou deixar você ver o número do meu quarto!