Piadas Variadas

14
11
3

Mulheres e Crianças Primeiro

Um navio estava afundando e o comandante começou a berrar:

— Abandonar o navio! Mulheres e crianças primeiro!

Um senhor, que tinha mulher e seis filhos dentro do navio, aproximou-se e disse, com lágrimas nos olhos:

— Eu estou muito emocionado, Comandante. O senhor é muito humanitário!

— Humanitário uma ova! Depois que os tubarões estiverem de barriga cheia, eles não vão querer saber da gente, meu senhor!

10
-4
14

Volte Cedo

A gatinha, superproduzida, está de saída. A mãe, muito preocupada, lhe diz:

— Volte cedo, hein minha filha!

E a garota protesta:

— Mãe! Eu não sou mais uma criança, né?

— Pois então! — concorda a mãe — Justamente por isso!

11
1
10

Anjo da Guarda

Um sujeito estava caminhando pela rua quando ouviu uma voz misteriosa dizer:

— Pare!

No mesmo instante o sujeito parou e um tijolo caiu bem à sua frente. Ele estranhou, mas prosseguiu. Depois de alguns segundos ele ouve novamente a mesma voz, dizendo para ele parar. Ele obedece e um caminhão descontrolado passa a dois centímetros de seu rosto.

Surpreso, ele pergunta:

— De quem é essa voz que me ajuda?

— Sou seu anjo da guarda e tenho a missão de lhe proteger. Agora que está tendo esta oportunidade de falar comigo, deve ter muitas perguntas a fazer...

— Na verdade, só tenho uma: Onde é que você estava no dia do meu casamento?

28
22
6

Hitler no Inferno

Hitler morre e vai para o inferno, assim que chega reclama com o Capeta:

— Eu preciso voltar imediatamente à Terra! Tenho uma coisa muito importante para fazer! Preciso só de mais uma semana!

— De jeito nenhum! — diz o diabo. — Já deu um trabalhão tirar você de circulação. Não vai voltar nunca mais!

— Mas eu preciso, eu preciso fazer uma coisa muito importante!

Curioso, o Diabo pergunta:

— Mas o que é assim tão importante?

— Eu preciso matar 4 milhões de pessoas e 3 baratas.

— Por que as três baratas?

— Tá vendo só! Ninguém mais se importa com as pessoas!

76
70
6

Grande Baralho

Um sujeito entra no bar e diz para o dono:

— Eu queria que o senhor me pagasse uma bebida!

O dono responde que não com o maior descaso.

— Ah! Eu tenho aqui uma coisa impressionante e, se eu lhe mostrar, você me paga uma bebida?

O homem fica intrigado e pede que ele mostre. O cliente tira do casaco um baralho com cerca de 30 cm de tamanho.

O barman fica perplexo e, como nunca tinha visto um jogo de cartas tão grande, resolve pagar uma bebida ao homem.

Alguns copos depois, o dono do bar resolve perguntar para o freguês onde é que ele conseguiu aquele baralho.

— É que encontrei um gênio que concede desejos!!

O homem fica empolgado e pede ao homem que lhe mostre o gênio, para ele poder pedir alguma coisa também.

O homem dá uma lâmpada ao sujeito, que esfrega até aparecer o tal gênio, dizendo o seguinte:

— Vou lhe conceder um único desejo, mas seja rápido porque eu quero dormir de novo!

O dono do bar, sem vacilar, pede a primeira coisa que lhe vem à cabeça:

— Quero um milhão! Um milhão em notas!

O gênio estala os dedos e, de repente, o bar fica entulhado de botas.

— Botas? Eu pedi um milhão em notas e não em botas! Essa droga de gênio é surdo?

O homem responde:

— Claro! Ou você acha que alguma vez eu pedi um baralho de 30 cm?

9
2
7

Cantando a Recepcionista

No balcão de um bar, um homem tentava puxar conversa com uma atraente mulher sentada a seu lado:

— Acho que já a vi em algum lugar — arriscou.

— É provável — rebateu a beldade -, sou recepcionista de uma clínica de doenças venéreas!

14
1
13

Dois Bebês

No ônibus, um sujeito viajava segurando dois bebês, um em cada braço. Num ponto, sobe uma senhora e fica encantada ao ver as duas crianças.

— Mas que bebezinhos bonitinhos! — comenta a senhora. — Como eles se chamam?

— Não sei. — responde secamente o moço, com a cara fechada.

— Como você não sabe? — surpreende-se a senhora.

— Como é que eu vou saber? — responde o rapaz — Eu trabalho numa fábrica de preservativos e estas são duas reclamações que acabam de me entregar!

8
1
7

Justo a Boa

Distraído, o sujeito vai atravessar uma linha férrea no mesmo instante em que o trem estava passando. E como resultado ele teve uma das pernas bruscamente arrancada.

Ele senta-se na calçada e se debulha em lágrimas:

— Justo a boa! Justo a boa!

Um dos transeuntes que observara o acidente, abaixa-se para consolá-lo e percebe que a perna perdida era uma perna de pau.

— Meu amigo — diz ele. — Você tem de erguer as mãos para o céu. Você perdeu somente a sua perna de pau!

— Então — respondeu o homem, choramingando. — Justo a de peroba que me custou uma fortuna!

11
6
5

Bastante Responsável

Um brasileiro recém-chegado a Lisboa apresenta-se para responder a um anúncio de emprego. A certa altura da entrevista, o entrevistador comenta:

— Para esse cargo é imprescindível uma pessoa bastante responsável!

— Então o senhor está diante da pessoa certa — diz o brasileiro.

— E quem poderia me dar referências suas?

— A Polícia Federal!

— A Polícia Federal? — espanta-se o entrevistador. — Como assim?

— No desfalque do Banco que eu trabalhava eles disseram que eu era o responsável!

11
6
5

Dez Anos

Na feira de arte, o turista escolhe um quadro:

— Gostei! Vou levar este!

— O senhor fez uma ótima escolha! Essa tela me custou dez anos de vida! — diz o pintor.

— Caramba! Dez anos? Deve ter dado um trabalhão! — diz o comprador.

— Ô se deu! Foram dois dias para pintar e o resto para conseguir vender!

20
17
3

Chapeuzinho Vermelho

Chapeuzinho Vermelho está andando pela floresta, para levar seus docinhos para vovozinha, quando vê uma moita se mexendo. Sem conseguir conter a sua curiosidade, espia atrás da moita e dá de cara com o Lobo Mau.

— Bom dia, seu Lobo! Nossa que olhos grandes você tem! — observa ela.

— São para melhor te ver, Chapeuzinho! — responde o Lobo, cordial.

E ela continua o seu passeio. Pouco mais adiante, vê outra moita se mexendo. Corre para dar uma espiada e novamente encontra o Lobo Mau.

— Olá, seu Lobo! Nossa que nariz grande você tem! — observa.

— São para melhor sentir o seu perfume, Chapeuzinho! — responde ele, secamente.

E ela continua o seu passeio. Alguns minutos depois, vê outra moita se mexendo. Espia e outra vez dá de cara com o Lobo.

— Uau! Você de novo! Mas que orelhas grandes você tem! — observa.

— São para melhor te ouvir, Chapeuzinho! — responde ele, irritado.

E ela continua o seu passeio. Duzentos metros depois, vê outra moita se mexendo. Adivinha quem está lá? O próprio.

— Olá, seu Lobo! Mas que saco grande você tem! — observa.

— É pra te aturar, Chapeuzinho! Faz meia hora que eu estou querendo dar uma cagada e você não deixa!

11
3
8

Balas de Hortelã

O sujeito estava num baile, flertando uma loirinha toda dengosa. Mas, como tinha um mau hálito terrível, não conseguia encontrar coragem para se aproximar. Então teve uma idéia brilhante, fingiu que foi até o banheiro, comprou um punhado de balas de hortelã e quinze minutos depois foi ter com a garota.

— Olá, gatinha! — e com um sorriso nos lábios. — Sabe o que eu estava comendo?

— Sei!

— O quê?

— Merda!

54
48
6

Tatuagem de Dinheiro

O sujeito foi fazer uma tatuagem e ordenou ao tatuador:

— Quero que você tatue uma nota de 100 reais no meu pênis!

— Você tá louco, cara? — perguntou o tatuador, perplexo — Isso aí vai doer pra cacete! Aliás, vai doer no cacete!

— Não tem problema — respondeu o corajoso — Vou fazer essa tatuagem em homenagem a quatro pessoas!

— É mesmo? Quem são esses doidos?

— Claro! Em primeiro lugar, em homenagem a mim, claro! Eu sou empresário e adoro ver o dinheiro crescer! Em segundo, em homenagem à minha mulher, que é economista e fica feliz vendo o dinheiro entrar e sair! Em terceiro, em homenagem à minha amante, que chupa todo o meu dinheiro! E, por último, em homenagem ao meus funcionários! Eu sempre disse pra eles que um dia eles vão encher o rabo de dinheiro!

18
-12
30

Pescando Sem Anzol

Dois pescadores conversando:

— Lá de onde eu vim tem um rio que tem tanto peixe... Mas tanto peixe... Que nóis nem usa anzol!

— Num usa anzol? — perguntou o outro.

— É, nóis mata o peixe é na marretada!

— Vixe!

— Mas o difícil é acertar um peixe!

— É, eu imagino...

— Nóis acerta logo uns 3 ou 4 de uma vez!

23
21
2

Descoberta da Profissão

Um sujeito dá uma cantada numa garota e acaba levando-a para seu apartamento. As coisas começam a esquentar e ele tira a camisa dela. Em seguida, vai lavar as mãos. Ele tira as calças dela e vai lavar as mãos. Ele tira o sutiã e a calcinha dela e vai lavar as mãos.

— Você deve ser dentista — diz a moça.

— Sim, eu sou — responde o sujeito, surpreso — como você sabe?

— Você lava suas mãos o tempo inteiro, portanto eu achei...

Depois eles vão para a cama e fazem sexo.

— Sabe o que mais? — diz a moça — Acho que você deve ser um ótimo dentista.

— Por que você acha isso? — pergunta o sujeito.

— Porque não senti absolutamente nada!

31
29
2

Comandante Tranquilo

Um avião voava dentro da sua rota normal, quando, de repente, começou a sacolejar com violência. Nessa hora, o comandante, com aquela voz fria de profissional do ramo, fala pelo sistema interno de som da aeronave:

— Caros senhores passageiros, aqui quem fala e o comandante Martins. Informamos que estamos passando por uma terrível zona de turbulência, e pedimos aos nossos passageiros que se coloquem em posição fetal, ou seja, coloquem a cabeça entre os joelhos e abracem as próprias pernas.

De repente, o avião dá uma chacoalhada incrível e o piloto continua:

— Solicitamos também que, gentilmente, segurem a identidade entre os dentes para melhor identificação dos corpos.

3
-5
8

Apartamento com Problemas

O sujeito alugou um apartamento, mudou-se para lá e logo nos primeiros dias começaram a surgir os problemas. Aí ele chamou o proprietário para que visse em que condições o apartamento se encontrava. O dono do apartamento foi até lá e o inquilino falou:

— Este lugar está inabitável. O senhor viu a quantidade de ratos? Vou lhe mostrar.

O inquilino colocou um pedaço de queijo no meio da sala. Veio um rato e levou o pedaço de queijo tão rapidamente que ninguém viu o animal.

— O senhor deve estar enganado. Não apareceu rato nenhum — disse o dono do apartamento.

— Vamos ver agora — disse o inquilino enquanto jogava no meio da sala vários pedaços de queijo.

Foi aquela festa. De todos os lados apareceram ratos. Muitos ratos e de todos os tamanhos. Mas o que chamou a atenção do proprietário foram os peixes que apareceram para comer o queijo: dois vermelhos, dois pretos e um amarelo.

— Mas o que é isso? — perguntou o proprietário. — E esses peixinhos?

— Primeiro vamos resolver o problema dos ratos — respondeu o inquilino. Depois, a gente conversa sobre vazamentos e infiltrações, certo?

5
-8
13

Procura de Emprego

A garota estava lendo jornal e a mãe chegou na sala.

— Você não disse que ia procurar emprego, filha?

— E você acha que eu estou lendo jornal pra quê, mãe? Tô procurando!

— Mas na seção de horóscopo?

— Ah, primeiro eu quero saber quais são as minhas chances.

24
20
4

Máquina de Respostas

Em uma Conferência, aquele famoso cientista apresenta seu mais novo invento: uma máquina capaz de responder qualquer pergunta.

Incrédulo, um outro cientista pede para testá-la.

— Pode perguntar o que quiser! — desafia o inventor.

— Eu quero saber onde está meu pai, neste exato momento.

Depois de alguns minutos, a máquina responde:

— O seu pai está a bordo de um avião em viagem para Paris.

— Errado! O meu pai já morreu há vinte anos.

Antes de esperar pelas explicações do inventor, a própria máquina responde:

— Quem morreu há vinte anos foi o marido da sua mãe!

103
95
8

Aconteceu em uma Rádio

Locutor:

— Quem ligar agora e fazer uma frase com uma palavra que não exista no dicionário ganha duas entradas para o cinema. Alô, quem é?

Ouvinte:

— Sérgio, do Jardim Magnólia.

— Olá, Sérgio... já conhece a brincadeira? Qual é a sua palavra?

— Ah! A palavra é vaice!

— Vaice? Como escreve?

— V-A-I-C-E.

— Espera um pouco... deixa eu consultar o dicionário... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se a frase fizer sentido e descobrirmos o que significa a palavra você ganha!

— Ok, lá vai... Vaice fuder!

E nesse momento desliga o telefone.

Locutor:

— Que é isso, pessoal! Vamos colaborar... afinal existem crianças ouvindo... Vamos tentar outra ligação. Alô! Quem é?

— Joselito, do Perobal!

-Olá, Joselito... Já conhece a brincadeira? Qual é a sua palavra?

— Eudi.

— Eudi? Como se escreve?

— E-U-D-I.

O locutor pede o o ouvinte esperar um pouco...

— Deixa eu consultar o dicionário... Deixa eu ver... Deixa eu ver... eudesmano... eudesmol.... eudésmia... eudiapneustia... eudiapnêustico... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se a frase fizer sentido e descobrirmos o que segnifica a palabra você ganha!

— Ok, lá vai... Sou Eudi novo e Vaice fuder!

101
-16
117

Felicidade do Anão

Um anão chegou num Centro Espírita muito triste e na saída estava com uma cara ótima.

Um conhecido viu tudo e perguntou:

— Pô, Luis. Você chegou aqui super triste e agora está com a maior cara de felicidade. Por quê?

— É porque agora não sou mais anão, agora eu sou médium.

25
21
4

Mais Rápido

Dois caçadores estavam sentados sob uma árvore descansando, quando ouvem um rugido.

— Meu Deus, um leão! — gritou um deles.

Mais do que depressa o outro começa a calçar as suas botas.

— Por que você está calçando as botas? — pergunta o outro. — Você não acha que é capaz de correr mais do que o leão, acha?

— Não! Mas acho que sou capaz de correr mais do que você!

27
19
8

Estádio Lotado

Estádio lotado. Decisão do Campeonato Brasileiro. O juiz apita e o jogo começa...

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

O gordo olha do lado. Era um cara baixinho que havia falado como que para si mesmo.

Falta na boca da área. A torcida se excita, o atacante arruma a bola e...

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras... — fala de novo o sujeito magrinho.

O gordo já fica invocado, com vontade de meter a mão na cara do sujeito. A bola foi desviada pela barreira, escanteio.

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

— Qualé, mano? — rosnou o gordo, mas o baixinho fez que não era com ele.

Júnior foi bater o escanteio. Como o pai sempre falava, escanteio é meio gol.

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

Aí o gordo não aguentou:

— Porra, camarada! Você já tá me irritando com essa história de 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

— Pro senhor ver... com tanta gente nesse estádio, vem a pomba e caga justo na minha cabeça!

4
-1
5

Estudo do IBGE

Diz o locutor de uma rádio:

— No último censo realizado pelo IBGE, ficou comprovado que a média da estatura brasileira é de 1,71 m e somente 1 a cada 10.000 brasileiros mede acima de 1,90 m.

Ao que alguém comenta:

— E é justamente este filho da puta que senta na minha frente toda vez que eu vou ao cinema!

17
12
5

Primeiro do Recruta

No primeiro dia, o novo recruta é informado pelos amigos dos procedimentos costumeiros para aliviar as suas necessidades sexuais.

— Atrás daquele galpão — diz um dos soldados — existe um barril, com um buraco bem apertado. Toda vez que você quiser, poderá ir lá...

— Que legal! Posso ir qualquer dia?

— Sim... menos às quartas-feiras.

— Por quê?

— Porque às quartas-feiras é o seu dia de ficar no barril.

11
3
8

Lógica das Áreas

Se mexer, pertence à Biologia.

Se feder, pertence à Química.

Se não funcionar, pertence à Física.

Se ninguém entende, é Matemática.

Se não faz sentido, é Economia ou Psicologia.

Se não mexe, não fede, não funciona, ninguém entende e não faz sentido... Com certeza é Informática!

37
34
3

Camisa Verrnelha

Há muito tempo, quando os galeões singravam os mares, um capitão e sua tripulação estavam para serem atacados por um navio pirata.

Quando a tripulação ameaçou entrar em pânico, o Capitão ordenou ao Imediato:

— Traga-me minha camisa vermelha!

O Imediato trouxe rapidamente a camisa vermelha do Capitão. Ele a vestiu e liderou a tripulação na batalha contra os piratas. Embora algumas baixas tivessem ocorrido, os piratas foram repelidos.

À noite, os homens estavam sentados no convés relembrando o evento do dia, quando um marujo olhou para o Capitão e perguntou:

— Capitão, por que o senhor vestiu sua camisa vermelha antes da batalha?

O Capitão, olhando para o marujo de uma forma que somente um capitão sabe fazer, exortou:

— Se eu fosse ferido na batalha, a camisa vermelha impediria que se visse o sangue, e vocês, homens, continuariam a lutar valentemente.

Os marinheiros ficaram em silêncio, rendendo homenagem à coragem deste homem.

Na manhã seguinte, apareceram dois navios piratas querendo abordar o galeão. A tripulação começou a entrar em pânico, mas o Capitão, calmo como sempre, ordenou:

— Traga-me minha camisa vermelha!

Mais uma vez, o Capitão e sua tripulação repeliram o ataque dos dois navios piratas, embora as baixas desta vez fossem maiores.

Mais tarde, entretanto, os piratas se rearmaram, e apareceram dez navios para enfrentá-los. Os homens ficaram em silêncio e olharam para o Capitão, esperando a ordem. O Capitão, calmo como sempre, ordenou:

— Traga-me minha calça marrom!