Piadas Variadas

Dois caçadores estavam sentados sob uma árvore descansando, quando ouvem um rugido.

— Meu Deus, um leão! — gritou um deles.

Mais do que depressa o outro começa a calçar as suas botas.

— Por que você está calçando as botas? — pergunta o outro. — Você não acha que é capaz de correr mais do que o leão, acha?

— Não! Mas acho que sou capaz de correr mais do que você!

25
21
4

Locutor:

— Quem ligar agora e fazer uma frase com uma palavra que não exista no dicionário ganha duas entradas para o cinema. Alô, quem é?

Ouvinte:

— Sérgio, do Jardim Magnólia.

— Olá, Sérgio... já conhece a brincadeira? Qual é a sua palavra?

— Ah! A palavra é vaice!

— Vaice? Como escreve?

— V-A-I-C-E.

— Espera um pouco... deixa eu consultar o dicionário... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se a frase fizer sentido e descobrirmos o que significa a palavra você ganha!

— Ok, lá vai... Vaice fuder!

E nesse momento desliga o telefone.

Locutor:

— Que é isso, pessoal! Vamos colaborar... afinal existem crianças ouvindo... Vamos tentar outra ligação. Alô! Quem é?

— Joselito, do Perobal!

-Olá, Joselito... Já conhece a brincadeira? Qual é a sua palavra?

— Eudi.

— Eudi? Como se escreve?

— E-U-D-I.

O locutor pede o o ouvinte esperar um pouco...

— Deixa eu consultar o dicionário... Deixa eu ver... Deixa eu ver... eudesmano... eudesmol.... eudésmia... eudiapneustia... eudiapnêustico... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se a frase fizer sentido e descobrirmos o que segnifica a palabra você ganha!

— Ok, lá vai... Sou Eudi novo e Vaice fuder!

103
95
8

No primeiro dia, o novo recruta é informado pelos amigos dos procedimentos costumeiros para aliviar as suas necessidades sexuais.

— Atrás daquele galpão — diz um dos soldados — existe um barril, com um buraco bem apertado. Toda vez que você quiser, poderá ir lá...

— Que legal! Posso ir qualquer dia?

— Sim... menos às quartas-feiras.

— Por quê?

— Porque às quartas-feiras é o seu dia de ficar no barril.

17
13
4

Estádio lotado. Decisão do Campeonato Brasileiro. O juiz apita e o jogo começa...

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

O gordo olha do lado. Era um cara baixinho que havia falado como que para si mesmo.

Falta na boca da área. A torcida se excita, o atacante arruma a bola e...

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras... — fala de novo o sujeito magrinho.

O gordo já fica invocado, com vontade de meter a mão na cara do sujeito. A bola foi desviada pela barreira, escanteio.

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

— Qualé, mano? — rosnou o gordo, mas o baixinho fez que não era com ele.

Júnior foi bater o escanteio. Como o pai sempre falava, escanteio é meio gol.

— 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

Aí o gordo não aguentou:

— Porra, camarada! Você já tá me irritando com essa história de 40 mil pessoas, 22 jogadores, um juiz e dois bandeiras...

— Pro senhor ver... com tanta gente nesse estádio, vem a pomba e caga justo na minha cabeça!

27
19
8

O sujeito, muito azarado, foi para numa cidadezinha onde não tinha mulher. Chegando no hotel ele viu vários homens na companhia de animais. Cabras, cadelas, éguas etc, todos bebendo no bar do hotel e conversando com os animais. Perplexo ele foi falar com o dono do hotel.

— Ah, a gente faz o que pode! — explicou ele — Lá no fundo do hotel tem um celeiro com alguns animais! Cada um de nós pega uma fêmea e... sabe como é... Elas são nossas namoradas...

O sujeito fica muito assustado, mas como a necessidade é grande, vai até o tal celeiro. Chegando lá vê uma porção de fêmeas e a que mais lhe chama atenção é uma leitoa.

Rapidamente ele leva a leitoa para o seu quarto, dá um banho nela, coloca perfume, amarra uma fita, enfeita toda a leitoa e vai beber no bar do hotel, como os outros homens.

Quando ele entra no bar todos olham para ele assustados e começam a comentar. Novamente ele chama o dono do hotel.

— Não estou entendendo nada! — diz ele — Eu não estou fazendo como todos eles?

— Sim, está! — responde o proprietário do local — O problema é que você pegou a garota do prefeito!

6
-2
8

Logo que entrou no avião, o sujeito, muito medroso, cutucou uma aeromoça e perguntou:

— Moça, por favor! Este tipo de avião costuma cair muito?

— De jeito nenhum! — disse ela, muito segura.

Ele suspirou aliviado e a aeromoça completou:

— Este tipo de avião cai uma vez só!

13
8
5

O ceguinho está parado na esquina, aguardando para atravessar a rua, quando um cachorro chega e faz xixi em cima da perna dele. Ao sentir o líquido escorrendo-lhe pela perna, ele imediatamente enfia a mão no bolso, tira um doce e oferece ao cachorro.

Ao ver aquela cena, uma senhora observa:

— Quanta bondade! O cachorro mijou em sua perna e ainda o senhor lhe oferece comida!

E o ceguinho:

— Eu só quero saber onde é a cabeça dele para eu dar uma paulada!

17
14
3

Há muito tempo, quando os galeões singravam os mares, um capitão e sua tripulação estavam para serem atacados por um navio pirata.

Quando a tripulação ameaçou entrar em pânico, o Capitão ordenou ao Imediato:

— Traga-me minha camisa vermelha!

O Imediato trouxe rapidamente a camisa vermelha do Capitão. Ele a vestiu e liderou a tripulação na batalha contra os piratas. Embora algumas baixas tivessem ocorrido, os piratas foram repelidos.

À noite, os homens estavam sentados no convés relembrando o evento do dia, quando um marujo olhou para o Capitão e perguntou:

— Capitão, por que o senhor vestiu sua camisa vermelha antes da batalha?

O Capitão, olhando para o marujo de uma forma que somente um capitão sabe fazer, exortou:

— Se eu fosse ferido na batalha, a camisa vermelha impediria que se visse o sangue, e vocês, homens, continuariam a lutar valentemente.

Os marinheiros ficaram em silêncio, rendendo homenagem à coragem deste homem.

Na manhã seguinte, apareceram dois navios piratas querendo abordar o galeão. A tripulação começou a entrar em pânico, mas o Capitão, calmo como sempre, ordenou:

— Traga-me minha camisa vermelha!

Mais uma vez, o Capitão e sua tripulação repeliram o ataque dos dois navios piratas, embora as baixas desta vez fossem maiores.

Mais tarde, entretanto, os piratas se rearmaram, e apareceram dez navios para enfrentá-los. Os homens ficaram em silêncio e olharam para o Capitão, esperando a ordem. O Capitão, calmo como sempre, ordenou:

— Traga-me minha calça marrom!

36
33
3

Chegou um circo em uma pequena cidade anunciando como atração principal um homem que transaria 50 vezes com uma mulher. Uma atrás da outra!

No dia do espetáculo, com a casa lotada, o super-homem começou: 1, 2, 3 e o público aplaudindo. 20, 30 e o público vibrando. Até que na 49º ele não agüentou mais e desabou no chão, acabado. Então o público se levantou e gritou:

— Bicha, bicha, bicha

13
-1
14

Um homem chega num restaurante, senta e diz:

— Garçon, por favor um frango assado.

O garçon vai e 20 minutos depois chega com o prato. Porém o homem vê um problema e diz ao garçon:

— Olha só isso! Esse frango tem uma perna menor que a outra!

Então o garçon retruca:

— Meu senhor, você vai comer ou dançar com o frango?

11
-1
12

Cinderela era uma bela garota, mas muito pobre que queria muito ir a uma grande festa, mas não tinha condições.

— Eu vou te ajudar! — gritou uma fada muito aparecida, que tinha acabado de aparecer.

Então, seguindo a tradição, ela transformou uma abóbora em uma bela carruagem. Outra abóbora em um lindo vestido. A terceira abóbora em um par de sapatos de cristal. A garota ficou maravilhada quando de repente sentiu aquela cólica inconfundível.

— Ai, fada! Estou ficando menstruada! Justo hoje que vou dançar com aquele príncipe maravilhoso e...

— Calma, Cinderela! Eu dou um jeitinho nisso!

E transformou a quarta abóbora em um OB.

— Oh, que maravilha! — exclamou a garota.

Então ela foi para a festa com sua carruagem, deixou as outras garotas morrendo de inveja com o seu vestido e seus sapatos de cristal e dançou com o seu príncipe.

À meia noite Cinderela explodiu!

14
0
14

O sujeito foi pela primeira vez num campo de nudismo. Estava passeando por um bosque quando algo lhe chamou a atenção. Era um outdoor com os seguintes dizeres: "Cuidado com o Bernardão!".

Ele continuou a sua caminhada e pouco mais adiante viu uma placa: "Cuidado com o Bernardão!". Intrigado, continuou andando e logo depois viu uma placa um pouco menor: "Cuidado com o Bernardão!".

Andou mais um pouco e viu outra placa que de tão pequena já lia com dificuldade: "Cuidado com o Bernardão!".

Mais alguns metros e uma plaquinha bem pequenininha no chão. Quando ele abaixou-se para ler, sentiu algo duro lhe penetrando o traseiro com força. Num meio de um grito de dor, ele ainda conseguiu ler: "Bem que eu avisei!".

13
2
11