Piadas Variadas

Havia três homens no deserto que estavam perdidos há dois dias e quase morrendo de desidratação. De repente encontraram uma grande cabana que estava escrito o seguinte: "Água!" Os três olharam um para o outro e disseram:

— E agora o que vamos fazer? É muito bom para ser verdade, e se for uma armadilha?

— Bem temos que arriscar — disse o outro.

— Vamos morrer do mesmo jeito se não tentarmos — completou o terceiro.

Entraram os três e se depararam com uma mulher muito linda vestida como uma dançarina da dança do ventre. E eles perguntaram para a moça:

— Aqui se dá água?

E a mulher respondeu:

— Sim. É só me acompanhar até aquela pequena cabana.

Logo o primeiro foi para uma pequena cabana com a moça. De repente ouviu-se um grito:

— Aaaaaaaaaaiiiii!

Mas logo o homem parou de gritar e saiu para o deserto bebendo um cantil de água sem esperar pelos outros. Os outros dois que ficaram questionaram dizendo:

— O que foi aquele grito de nosso companheiro???

— Não sei. O que importa é que ele saiu vivo estava tomando sua água — disse o segundo.

Então o segundo foi e entrou na cabana. Mas aí se ouviu gritos enormes:

— Aiiiiiiiii! Aiiiiiiiiii! Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

O último que ficou pensou em correr para ajudar seu amigo, mas logo o viu sair também com o seu cantil para o deserto. Então ele pensou em fugir, mas a mulher o chamou e disse:

— Você não vem?

— Sim, estou indo. — respondeu o homem. E foi para a cabana com muito medo.

Dentro da cabana o homem perguntou a mulher:

— Olha antes de você me dar água me responda uma coisa: por que o primeiro gritou pouco e o segundo gritou muito?

A mulher respondeu:

— Bem, aqui a tradição diz que se dá água, mas para isso se deve cortar o pênis do homem de acordo com a profissão. O primeiro era lenhador, então usou um machado e cortou seu pênis sem muita dificuldade. Já o segundo era encanador, aí eu tive que torcer até arrebentar.

O homem deu risadas e a mulher perguntou:

— De quê está rindo?

O homem então disse com um sorriso no rosto:

— Sou sorveteiro, então vai ter que chupar até acabar!

64
50
14

Depois de ter um filho, a mulher decidiu que ia botar o nome do menino igual a primeira palavra masculina que escutasse na rua. Derrepente ela ouviu:

— Pênis.

Então ela botou o nome do filho de Pênis. Um tempo depois ela teve uma filha e decidiu fazer a mesma coisa, saiu a rua, a primeira palavra que escutasse feminina seria o nome de menina. Derrepente ela ouviu:

— Perereca.

Botou o nome da filha de perereca.
Após alguns anos, o menino foi para a igreja encontrou uma moça e a cumprimentou:

— Olá.

— Olá.Que menino bonito, qual seu nome?— respondeu a moça.

— Pênis. — o menino respondeu ansioso.

— Credo. Cadê sua mãe? — pergunta a moça.

— Tá cortando o cabelo da perereca!

24
-2
26

Diz o locutor de uma rádio:

— No último censo realizado pelo IBGE, ficou comprovado que a média da estatura brasileira é de 1,71 m e somente 1 a cada 10.000 brasileiros mede acima de 1,90 m.

Ao que alguém comenta:

— E é justamente este filho da puta que senta na minha frente toda vez que eu vou ao cinema!

58
33
25

Um homem, ao passear avistou um índio e foi o ver de perto. Chegando lá o homem viu que o índio estava pelado e lhe deu uma cueca de pano. No outro dia voltou para ver se o índio estava de cueca
e ele estava pelado.

Então perguntou ao índio:

— Cadê a cueca que ti dei?

E o índio respondeu:

— Índio forte, cueca fraca, índio peida, cueca rasga!

O homem então lhe deu uma cueca de madeira. No outro dia o homem voltou e o índio novamente estava sem cueca.

Perguntou-lhe:

— Cadê a cueca?

E o índio responde:

— Índio forte, cueca fraca, Índio peida, cueca racha!

O homem, para resolver o problema, lhe dá uma cueca de ferro. No outro dia o homem voltou e o índio estava sem cueca.

Então perguntou-lhe:

— E agora? Cadê a cueca?

E o índio responde:

— Índio fraco, cueca forte, índio peida, o cu explode.

217
-6
223

O Cebolinha curioso para saber qual a diferença entre meninos e meninas tirou a sua blusa pediu para Mônica tirar a dela também e viu que não tinha nada de diferença. Então Cebolinha tirou o calção e pediu para Mônica tirar a sainha e ainda nada de diferença.

Quando a Mônica começou a tirar a calçinha o Cebolinha gritou:

— Pala, pala, pala. Minha difelença ta ficando dula!

42
26
16

O pé vira-se pro pinto e fala:

— Você é que leva a vida... fica aí na boa, se encostando nas mulheres... enquanto eu fico aqui, dentro deste sapato apertado, fedendo, cheio de frieiras...

— Há há! — responde o pinto. — Você tá mal-informado mesmo. Pois saiba que o meu dono me pega, me soca num monte de de buraco escuro, daí parece que se arrepende e fica me tirando e pondo, tirando e pondo.

E vai assim um tempão, no meio de uma gritaria infernal, até que eu fico tonto, vomito e desmaio!

67
47
20

O dono de um circo está fazendo entrevistas com jovens procurando novos talentos para seu espetáculo. Ele inicia a entrevista com um deles:

— Bom dia! Mas o que você faz de especial e que seria interessante pra o nosso público?

O jovem responde:

— Eu sou o melhor imitador de pássaros do mundo!

O dono do circo já interrompe o jovem:

— Sinto muito, mas imitar pássaros não é uma coisa que vai entreter a nossa plateia.

Xingando muito, o rapaz levantou voo e foi embora!

36
11
25

O rapaz todo galante, ao ser apresentado para aquela gata maravilhosa:

— Puxa, sua mão é tão lisa! — elogia.

— É que eu eu uso luvas há pelo menos cinco anos.

— Então me explica, como é que eu uso cueca há quase vinte anos e o meu saco é todo enrugado?

39
24
15

O homem morre e sobe feliz ao céu. Passados uns 150 anos de vida eterna no Paraíso, ele resolve pedir uma audiência a São Pedro, que o atende numa sala com uma enorme janela com vista para o Inferno.

— Olhe, São Pedro, sinceramente, eu estou muito bem aqui, não posso reclamar, mas às vezes olho para o pessoal lá no inferno e me pergunto se eles não têm uma vida mais divertida.

E, apontando com o dedo através da janela, continuou:

— Por exemplo, repare naquele sujeito lá embaixo. Ele esta numa boa, sentado num barzinho, bebendo uma cervejinha e acompanhado por uma bela mulher.

— Mas, meu filho — disse São Pedro, sorrindo — você não percebe que aquilo é parte do castigo?

— Castigo? O que isso tem de castigo, São Pedro? — perguntou o homem.

— A garrafa de cerveja tem um buraco por baixo, se ele levantá-la da mesa, o líquido vai derramar no chão e ele não vai beber nada. — explicou São Pedro.

— E aquela mulher? — voltou a perguntar o homem.

— A mulher? Ela não tem buraco nenhum!

36
25
11

O sujeito reclama com o garçom:

— Poxa, eu pedi um frango a passarinho e o senhor me trouxe um frango ao raio X!

— Desculpe, senhor! Frango ao raio X? Não temos esse prato no cardápio...

— Pois deveriam! Deste frango só se veem os ossos!

40
16
24

No fundo do saco havia um espermatozoide que sonhava em conhecer uma vagina, mas ele nunca conseguia sair pelo pênis do seu dono porque era muito lento. Certo dia ele foi falar com o grande sábio, o espermatozoide mais velho do saco, que já tinha 5 dias de vida. O sábio lhe diz:

— Meu caro jovem, eu até consigo um lugar para você na fila, mas você tem que ser o melhor na corrida e chegar primeiro no "grande ovo".

E assim ele se posiciona como primeiro da fila, mais próximo do pênis, onde até podia ver uma luz no fim do túnel. Um dia depois tudo começa a tremer e os espermatozoides se animam:

— É agora, é agora!

Ele sente um jato e sai voando pelos ares cheio de felicidade, quando ouve:

— Volta, volta que é punheta!

47
39
8

Chegando em Porto Seguro, Pedro Álvares Cabral foi conversar com um índio:

— Ora, pois... Nativo desta terra tão bela... Como se chamas?

— Índio chamar Bah! — respondeu ele, rispidamente.

— Bah? — perguntou o português, surpreso. — Tudo bem, tudo bem! Preciso de um favor seu, senhor Bah!

— Bigodudo falar, Bah escutar...

— A vela do meu barco apagou! Sabe como é, venta muito por aqui... Preciso que você vá nadando até aquele outro navio e avise os meus companheiros que descobrimos uma nova terra!

— O que Bah ganhar com isso?

— Como homenagem a vossa senhoria e para que todos se lembrem que Bah foi até o outro lado da praia para oficializar esta descoberta, esta terra se chamará Bahfoi!

— Ah, não, Bah não querer ir... Bah ter muita preguiça... Melhor o senhor chamar a terra de Bahia!

109
11
98

Em uma cidadezinha do interior havia um abacateiro carregado dentro do cemitério.
Dois amigos decidiram entrar lá à noite (quando não havia vigilância) e pegar todos os abacates.
Eles pularam o muro, subiram a árvore com as sacolas penduradas no ombro e começaram a distribuir o "prêmio".

— Um pra mim, um pra você. Um pra mim, um pra você.

— Pô, você deixou dois caírem do lado de fora do muro!

— Não faz mal, depois que a gente terminar aqui pegamos os outros dois.

— Então tá bom, mais um pra mim, um pra você.

Um bêbado, passando do lado de fora do cemitério, escutou esse negócio de 'um pra mim e um pra você' e saiu correndo para a delegacia.

Chegando lá, virou para o policial:

— Seu guarda, vem comigo! Deus e o diabo estão no cemitério dividindo as almas dos mortos!

— Ah, cala a boca bêbado.

— Juro que é verdade, vem comigo.

Os dois foram até o cemitério, chegaram perto do muro e começaram a escutar...

— Um para mim, um para você...

O guarda assustado:

— É verdade! É o dia do apocalipse! Eles estão dividindo as almas dos mortos! O que será que vem depois?

De dentro do cemitério se ouve:

— Um para mim, um para você. Pronto, acabamos aqui. E agora?

— Agora a gente vai lá fora e pega os dois que estão do outro lado do muro...

— Coooooooooorreeeeeeeeeeeeeee!

154
133
21

Um homem entra na farmácia e diz ao farmacêutico:

— Quero o melhor afrodisíaco que você tiver. E nem vem com Viagra que é pouco! O troço tem que ser muito bom, porque eu combinei com duas suecas para elas irem lá em casa e elas são umas taradas.

Vai ser a maior farra e eu quero estar preparado!

O farmacêutico vai até os fundos e volta com um potinho, que entrega ao rapaz:

— Leva, é o que tem de melhor. Tuas suecas vão pedir arrego.

Aplica meia hora antes.

No dia seguinte, o homem entra de novo na farmácia, quase se arrastando. Chega ao farmacêutico e pede Gelol.

— Gelol no pênis? Tá maluco? Vai arder pra burro!

— Não, não é pro pênis, é pro punho... As suecas não apareceram...

54
47
7