Piadas Variadas

Em uma cidadezinha do interior havia um abacateiro carregado dentro do cemitério.
Dois amigos decidiram entrar lá à noite (quando não havia vigilância) e pegar todos os abacates.
Eles pularam o muro, subiram a árvore com as sacolas penduradas no ombro e começaram a distribuir o "prêmio".

— Um pra mim, um pra você. Um pra mim, um pra você.

— Pô, você deixou dois caírem do lado de fora do muro!

— Não faz mal, depois que a gente terminar aqui pegamos os outros dois.

— Então tá bom, mais um pra mim, um pra você.

Um bêbado, passando do lado de fora do cemitério, escutou esse negócio de 'um pra mim e um pra você' e saiu correndo para a delegacia.

Chegando lá, virou para o policial:

— Seu guarda, vem comigo! Deus e o diabo estão no cemitério dividindo as almas dos mortos!

— Ah, cala a boca bêbado.

— Juro que é verdade, vem comigo.

Os dois foram até o cemitério, chegaram perto do muro e começaram a escutar...

— Um para mim, um para você...

O guarda assustado:

— É verdade! É o dia do apocalipse! Eles estão dividindo as almas dos mortos! O que será que vem depois?

De dentro do cemitério se ouve:

— Um para mim, um para você. Pronto, acabamos aqui. E agora?

— Agora a gente vai lá fora e pega os dois que estão do outro lado do muro...

— Coooooooooorreeeeeeeeeeeeeee!

154
133
21

Um homem entra na farmácia e diz ao farmacêutico:

— Quero o melhor afrodisíaco que você tiver. E nem vem com Viagra que é pouco! O troço tem que ser muito bom, porque eu combinei com duas suecas para elas irem lá em casa e elas são umas taradas.

Vai ser a maior farra e eu quero estar preparado!

O farmacêutico vai até os fundos e volta com um potinho, que entrega ao rapaz:

— Leva, é o que tem de melhor. Tuas suecas vão pedir arrego.

Aplica meia hora antes.

No dia seguinte, o homem entra de novo na farmácia, quase se arrastando. Chega ao farmacêutico e pede Gelol.

— Gelol no pênis? Tá maluco? Vai arder pra burro!

— Não, não é pro pênis, é pro punho... As suecas não apareceram...

54
47
7

Numa livraria, o cliente pede ao balconista:

— Por favor, queria comprar aquele livro... O "Como Ficar Milionário da Noite Para o Dia", você tem?

— Claro, só um minutinho que eu vou buscá-lo — responde o vendedor.

Ele volta com dois livros e começa a embrulhá-los para o cliente:

— Moço, é... Desculpe, mas eu só pedi um livro! — argumenta o cliente.

— Eu sei, o outro é o código penal. Vendemos sempre os dois juntos.

26
12
14

Um sujeito vai seguindo um caminhão-baú e nota o comportamento meio inusitado do motorista. Toda vez que o caminhão para num sinal, o motorista desce da cabina com uma vara na mão e fica a dar bordoadas na parte externa da carroceria até que o sinal muda para verde. Aí motorista volta para a cabina e continua o percurso até encontrar outro sinal vermelho e repetir a mesma coisa: desce, dá bordoadas na carroceria e volta para a cabina.

O sujeito começa a achar que o motorista é meio maluco e, na parada seguinte, assim que o motorista desce da cabina ele vai ao encontro dele para saber a razão desse comportamento esquisito.

— Desculpe, mas eu venho acompanhando o senhor e fiquei curioso para saber a razão de o senhor parar de vez em quando e dar essas pancadas na carroceria.

Sem interromper as bordoadas, o motorista responde:

— Como o senhor vê o meu caminhão só comporta quatro toneladas. Eu peguei um frete de oito toneladas de pombos. Para aliviar o peso, eu tenho de manter pelo menos a metade dos pombos voando aí dentro. Se todos os pombos pararem de voar, o caminhão não agüenta o peso deles e quebra.

15
-17
32

Jacob e Ephraim estavam na fila do banco quando entraram os assaltantes. Enquanto uns assaltantes
roubavam os caixas, os outros iam tomando dinheiro, joias e relógios dos clientes. A certa altura, Ephraim
cochichou para Jacob:

— Pega aí. São aqueles trezentos que te devo.

21
5
16

Um homem estava jogando golfe quando a bola caiu no bosque ao lado do campo. Ele foi até lá procurar a bola e terminou se embrenhando mato a dentro. No meio do bosque, ele viu uma velha com jeitão de feiticeira, chapéu de feiticeira, mãos de feiticeira e um enorme caldeirão de feiticeira em cima de uma fogueira. Ele ficou curioso e foi lá saber do que se tratava.

— O que é que a senhora está fazendo aí?

— Estou preparando uma poção mágica. Ela transforma qualquer pessoa num jogador excepcional. Quem bebe disto aqui não perde mais uma partida. Quer um pouco?

— E por que não? — disse o homem.

— Mas tem uma coisa e eu vou logo avisando: a pessoa se transforma num excelente jogador, mas passa a ter a função sexual bastante prejudicada.

O homem meditou um pouco e decidiu beber a poção mágica. Logo que o homem retornou ao jogo, ele já percebeu a diferença: terminou a partida de modo brilhante. E assim ele foi percorrendo o país e o mundo a ganhar partidas e prestígio.

No ano seguinte, ele voltou àquele mesmo campo e se lembrou de passar pelo bosque e agradecer à feiticeira pela transformação. E lá estava a velha feiticeira.

— E então? Como têm sido as suas partidas — perguntou a feiticeira.

— Perfeitas. Uma maravilha. Tenho ganho todas.

Mas ela ficou muito curiosa para saber dos efeitos colaterais da poção mágica e começou a fazer perguntas:

— É mesmo? Mas e sua vida sexual? Essa poção é capaz de arruinar a relação de um casal. Quantas vezes você fez sexo nesse tempo todo? Sua vida sexual está sendo satisfatória?

— Bem... tem sido satisfatória... umas três ou quatro vezes por mês...

— O quê? Três ou quatro vezes? E você acha isso satisfatório?

— Bem, pra um bispo que nem eu, numa diocese pequena, até que tá bom.

32
18
14

O jovem participante de um desses programas de intercâmbio chega à Inglaterra e Lord Hastings, seu "pai" estrangeiro, vai mostrar-lhe a propriedade.

— Mas que campo de golfe magnífico. O senhor sempre joga golfe? — pergunta o jovem.

— Joguei uma vez, faz alguns anos. É muito cansativo jogar golfe — responde o Lord.

Mais á frente chegam a um campo de tênis.

— Belo campo de tênis. O senhor sempre joga tênis?

— Joguei uma vez há muito tempo. É muito cansativo.

Logo depois chegam em um cercado onde estão vários cavalos de raça.

— Belos animais. O senhor gosta de cavalgar?

— Cavalguei uma vez, faz tempo. É muito cansativo.

Quando chegam de volta ao castelo, o Lord apresenta seu filho William Hastings. O jovem hóspede estende a mão e cumprimenta o jovem enquanto diz ao Lord:

— Filho único, eu presumo.

28
17
11

Segue Chapeuzinho Vermelho pela estrada a fora bem contente e saltitante cantando uma conhecida
melodia quando, de repente, surge em sua frente o Lobo Mau:

— Ah, então você é Chapeuzinho Vermelho?

— Sim, sou eu — responde Chapeuzinho Vermelho sem assustar-se nem um pouco.

— E nessa cesta você leva doces para sua vovozinha, não é?

— É sim.

— E foi sua mãe quem mandou você levar esses doces, não foi?

— Foi, sim.

— Sua avozinha mora lá no bosque, não mora?

— Mora, sim. Mas como é que você sabe de tudo isso seu Lobo?

— É que eu já li o livro.

17
-14
31

O bravo, brioso e brilhante soldado chega ao quartel e causa o maior espanto: ele está com o uniforme sujo e rasgado, hematomas no rosto.

— O que houve? — pergunta o comandante.

— Foi uma luta difícil: cem contra dois. Mas terminamos matando os dois.

27
16
11

Um sujeito entra na delegacia e coloca um cachorro morto em cima da mesa do delegado.

— Jogaram esse cachorro lá dentro da minha casa.

O delegado examina o cachorro e o caso e fala:

— Leve-o de volta pra casa. Se até daqui a 30 dias ninguém reclamar, você pode ficar com ele.

13
-2
15

Depois de muitos meses em treinamento no mar, o navio vai se aproximando do porto. Os marinheiros estão eufóricos e excitadíssimos, pois foram muitos meses de total abstinência pelos indomáveis mares bravios do planeta.

O comandante chama os marinheiros e faz uma bela preleção: o respeito aos nativos, o tempo que cada um terá para conhecer o lugar, que os seus homens devem ter um comportamento à altura das tradições da marinha, os cuidados para evitar as doenças sexualmente transmissíveis e etc. Terminada a falação, os marinheiros se dispersam e vão se preparar para a descida no porto.

Decorrido algum tempo, o comandante percebe um estranho silêncio. Nenhum movimento a bordo. O que terá acontecido? Que mistério é esse? E ele vai investigar.

Percorre o navio sem ver ninguém até que ele chega ao banheiro e vê uma cena no mínimo curiosa: todos os marinheiros nus, em pé encostados às paredes. No chão, no meio do banheiro, um sabonete...

15
-6
21

João morreu e foi parar no inferno. Em clima de desespero, ele teve o primeiro contato com o Diabo:

— Porque você está tão triste cara?

— O que você quer? Estou no inferno!

— O inferno não é tão ruim assim. Na verdade, temos um bocado de divertimento por aqui... Você bebe?

— Claro, eu adoro beber!

— Bem, então você vai adorar as segundas-feiras... Tudo o que temos que fazer nelas é beber... bebemos até cair e mais um pouquinho...

— Uau, isso parece legal!

— Você fuma?

— Ô cara... podes crer...

— Então você vai adorar as terças-feiras... pegamos os melhores cigarros do mundo e lotamos nossos pulmões de fumaça. Se você tiver câncer tudo bem... você já está morto mesmo.

— Ótimo!

— Imagino que você goste de jogar...

— Sim, de fato adoro.

— Bom, porque as quartas-feiras são dedicadas ao jogo: Pôquer, blackjack, corridas de cavalos e tudo o mais que você quiser...

— Mas que legal cara... estou começando a adorar o inferno.

— Você curte drogas?

— Sim, adoro... mas você não quer dizer...

— É isso aí! Nas quintas-feiras são dias de droga... fuma-se pedras de crack ou um baseado do tamanho de um submarino... você pode usar tudo que quiser... se você tiver uma overdose, tudo bem.... você já está morto mesmo.

— Oba! eu nunca havia imaginado que o inferno fosse um lugar tão legal.

— Você é gay?

— Qual é cara? claro que não!

— Iiiiiih! Você vai odiar as sextas-feiras.

17
7
10

Um nordestino que morava em uma região muito pobre reclamava com um cumpadre do sofrimento que é a seca, a sede e, principalmente, a fome! O compadre, que era meio irresponsável, falou:

— Porque que você não vai para os Estados Unidos bichinho? Lá num tem seca nem fome e todo mundo é rico!

O nordestino perguntou:

— Mas cumu que eu vou prá lá?

E o cumpadre:

— Ora, arrume emprego em um navio que vá para lá!

O nordestino arrumou sua trouxa e se mandou para os Estados Unidos, matando-se de trabalhar em um navio cargueiro.

Chegando em Nova Iorque o nordestino além de fome começou a sofrer com o frio, porque não conseguia arrumar emprego pois não falava uma só palavra em inglês... Ele estava sentado em uma calçada, congelado e faminto, esperando pela morte, quando passou um mexicano e perguntou:

— O que acontece Muchacho? Queres ir para o meu circo?

O nordestino então, com dificuldade de andar foi até o circo, que era aquecido, onde tomou um banho quente, trocou de roupa, fez uma farta refeição e foi dormir para recuperar as forças. Quando acordou foi procurar o mexicano:

— O que posso fazer para recompensá-lo?

O mexicano respondeu:

— Quero que vistas uma pele de leão e entres no picadeiro para lutares com uma jiboia!

O nordestino recuou um passo, mas pensou que se não fosse o mexicano já estaria morto...

Na hora do espetáculo o mexicano anunciou:

— E agora, a sensacional luta do leão africano com a jiboia da amazônia!

O nordestino, vestido de leão, entrou no picadeiro urrando, mas quando viu a imensa cobra entrando do outro lado ajoelhou-se e disse:

— Meu padim padre Cícero, de Juazeiro no Ceará, não deixe essa cobra me matar!

A cobra colocou as mãos na cintura e disse:

— Ó chente bichinho, tu é de lá também?

16
8
8

Um cara, andando pelas ruas de Las Vegas vê uma figura maravilhosa. Ele inicia uma conversa amigável e acaba fazendo a grande pergunta:

— Quanto você cobra?

— U$500 a punheta.

— O quê? U$500 por uma punheta? Não pode ser! Nenhuma punheta vale tanto dinheiro!

A puta lhe pergunta:

— Você está vendo aquele restaurante na esquina?

— Sim.

— Você está vendo aquele outro restaurante na outra esquina?

— Sim.

— E aquele outro, na outra quadra?

— Sim!

— Bem, eles são meus porque eu bato uma punheta que vale U$500.

O cara pensa:

— Que merda! A gente só vive uma vez. Vou nessa!

Eles entram num motel ali perto... Dali a pouco ele senta na cama e vê que acabou de ter a melhor punheta do mundo e que valeram os U$500. Ele está tão impressionado que diz:

— Um boquete deve ser uns U$1.000?

— Não, U$3.000.

Ele, em completo estado de choque, diz:

— Não é possível! Um boquete não pode custar U$3.000. Nem o Bill Gates pagaria isso por um boquete.

A puta responde:

— Venha até a janela, bonitão. Você está vendo aquele cassino ali? Aquele cassino é meu. E ele é meu porque eu faço um boquete que vale U$3.000.

O cara pensa na punheta fantástica e decide adiar a troca do carro pro ano seguinte...

— Vamos nessa!

Dez minutos depois, ele está sentado na cama, mais maravilhado ainda. Ele mal consegue acreditar, mas valeu cada centavo de seu dinheiro. Ele decide, então, meter a mão na poupança por uma experiência inesquecível. Pergunta a ela então:

— E quanto é a xoxotinha, U$5.000, 6.000, 7.000? Eu pago!

A puta responde:

— Venha até a janela. Você está vendo toda a cidade de Las Vegas? Com todas as suas luzes brilhantes, cassinos, hotéis maravilhosos, casas de show e restaurantes?

— Maldição! Responde o cara... Você é dona de tudo?

— Não, mas seria se eu tivesse uma xoxota!

43
34
9